Eis o Admirável Mundo em Rede

Filmes, Documentários
Escolha dos críticos
3 /5 estrelas
Eis o Admirável Mundo em Rede

A Time Out diz

3 /5 estrelas

O novo documentário de Werner Herzog é um divertido retrato das fantasias futuristas do momento.

Além dos seus filmes de ficção, que se tornaram raros nos últimos anos, Werner Herzog tem por hábito fazer documentários sobre figuras com algum grau de loucura e que ele observa ao mesmo tempo com admiração e com perplexidade.

Aconteceu em Grizzly Man, que era sobre um homem que achava que conseguia viver com ursos, e em My Best Friend, sobre o actor Klaus Kinski, que entrou em cinco filmes de Herzog apesar de o realizador o considerar “uma peste” e ter assistido sem tristeza à sua morte. Isto para ficarmos apenas pelos títulos recentes.

Eis o Admirável Mundo em Rede usa a mesma fórmula, só que a criatura alucinada é a internet. Herzog, se nunca trata a internet como um ser vivo, não deixa por isso de a ver como capaz de um dia se transformar em qualquer coisa com inteligência e vontade próprias.

Dividido em dez capítulos, com nomes como The Early Days, The Glory of the Net e The Future, o filme começa por ser uma história linear da criação da internet mas rapidamente se transforma numa espécie de comédia negra, onde hackers, carros sem condutor, robots, viciados em jogos vídeo e a “internet das coisas” se misturam com analistas de segurança, investigadores no campo da neurologia, astrónomos e, mais prosaicamente, todo o tipo de engenheiros, e ainda algum Wagner no banda sonora.

O resultado final, com todo o seu verniz tecnológico-prospectivo, no fundo dá-nos a imagem caótica de um clássico de todos os tempos - o anúncio do enésimo futuro com visões de imortalidade. A prazo, sugere (ou, mais exactamente, ameaça) Eis o Admirável Mundo em Rede, a memória e a experiência, e aquilo que se constrói a partir delas, serão um terreno dominado pelas máquinas e pelas ligações electrónicas. Isto é, nada de novo na frente ocidental ou em qualquer outra.

Como estado da arte das fantasias do momento, o filme de Herzog é divertido e às vezes mesmo um gozo pegado. Como exercício especulativo, é igual a tantos outros. Vale pela paródia com base em factos reais e ideias fantásticas, portanto.

Por Nuno Henrique Luz

Publicado:

Detalhes

Detalhes da estreia

Classificação
12A
Data de estreia
sexta-feira 28 outubro 2016
Duração
98 minutos

Elenco e equipa

Realização
Werner Herzog