A Time Out na sua caixa de entrada

Portugal, Porto, view of the city and Douro's river early in the morning
Photograph: Shutterstock

25 coisas incríveis para fazer no Porto

A Invicta, como também a cidade é conhecida, está passando por um processo de modernização, sem perder a sua essência, e virou destino de desejo para muitos turistas, inclusive cariocas.

Renata Magalhães
Escrito por
Renata Magalhães
Publicidade

Mesmo com o frio esperado para o final de janeiro, foi com sol que a Time Out Rio de Janeiro acabou recebida em terras lusitanas. A convite da Câmara do Porto, fomos conhecer a segunda maior cidade do país e também uma das mais antigas. Sem deixar de lado as tradições, ela vem se tornando cada vez mais cosmopolita, criando uma cena interessante e atraente para brasileiros e turistas de outros países da Europa. É fato: o Porto está passando por um processo de modernização, com uma porção de obras que estão deixando o que era bom ainda melhor. 

O charme de outros tempos permanece, com suas fachadas coloridas em corredores invadidos pelo cheiro de roupa lavada que seca nos varais. Os pescadores seguem batendo ponto no rio Douro, que define os limites da cidade e cria uma paisagem daquelas a deixar marcas na memória. A Ribeira continua cheia dia e noite, ocupada por pessoas de todas as idades e vários artistas de rua. Ao mesmo tempo, é possível sentir a mudança na população, especialmente com a chegada dos nômades digitais que elegeram o Porto para trabalhar e viver. 

Muitos se instalaram na foz do Douro, uma das zonas nobres da cidade, bem pertinho da praia. Para sair, não duvide: aposte no Bonfim, não a toa apontado pela Time Out como um dos bairros mais legais do mundo. Na zona histórica, os cariocas vão se sentir em casa – é como um passeio pelo Centro da cidade do Rio. Com tanto a fazer e conhecer, selecionamos 25 coisas incríveis para fazer no Porto. Resgate o passaporte e marque a sua próxima viagem.

25 coisas incríveis para fazer no Porto

1. Experimentar pratos tradicionais em uma charmosa casa

Escondida em um dos cantos da Ribeira está a Adega São Nicolau, um pequeno restaurante de comida típica por um preço bem honesto. Enquanto as mesas do lado de fora oferecem uma bela vista para o rio Douro, a parte de dentro é aconchegante e bem decorada, dando a curiosa impressão do interior de um barril. Conhecida pelo bom serviço, a equipe traz à mesa delícias bem tradicionais como os filés de polvo empanados servidos com arroz cozido no caldo do molusco (22€), o frango ao molho de vinho Bordelaise (17,5€) e os camarões ao alho (22€). Vale o aviso: o espaço é pequeno e concorrido, então melhor garantir uma reserva. Do contrário, a sugestão é tomar uma taça de vinho enquanto aguarda na fila.

Rua de São Nicolau, 1, Porto. Seg-Sab 12.00-15.00 e 19.00-22.30. https://adegasnicolau.eatbu.com/

2. Ver câmeras antigas dentro de uma prisão desativada

Dentro da antiga prisão da cidade do Porto, que funcionou até os anos 1970, está o maior patrimônio fotográfico do país, incluindo uma bela coleção de câmeras com mais de 100 anos. No Centro Português de Fotografia, as exposições são apresentadas nas antigas celas: no primeiro andar estão as temporárias; no segundo, as fotografias são separadas por temáticas; e, no terceiro, o ponto forte, está o acervo de mais de 3000 máquinas e objetos. A entrada é gratuita. Aproveite para dar um pulo na Torre dos Clérigos logo ali do lado. 

Largo Amor de Perdição, Porto. Ter-Sex 10.00-18.00, Sab-Dom 15.00-19.00. https://cpf.pt/

Publicidade

3. Perder o fôlego com a melhor vista da cidade

Nem pense em visitar este ponto turístico e não subir ao topo da Torre dos Clérigos. Sim, a escada de 225 degraus em espiral pode assustar, mas sem fôlego mesmo você fica com a vista panorâmica lá do alto de seus 76 metros. Projetado pelo arquiteto Nicolau Nasoni, o conjunto arquitetônico formado também por uma igreja data do século XVIII, tem inspiração barroca e marcou a configuração urbana da cidade. As duas edificações são interligadas pela Casa da Irmandade, onde fica um museu abastecido por esculturas, pinturas, mobiliário e ourivesaria – o ingresso para a torre (8€) dá direito à entrada. Uma dica: em datas especiais, como no Natal, é possível subir à noite, até às 23.00.

Rua de São Filipe de Nery, Porto. Seg-Dom 09.00-19.00. 8€. https://www.torredosclerigos.pt/pt/

4. Fazer comprinhas na Rua das Flores

A rua que liga São Bento ao Largo São Domingos é uma das mais bonitas da cidade – e agora também das mais movimentadas. Dom Manuel mandou construí-la em 1521 e ela ganhou seu nome pelas várias hortas e jardins que existiam no terreno. As moradias de charmosas varandas foram mantidas e guardam hoje um comércio variado, com bares, restaurantes, bodegas, lojas de decoração, chocolaterias, salas de chá e outras tantas lojas. Um charmoso shopping a céu aberto, com um artista de rua a cada esquina. Passeie sem pressa, pois são muitos os detalhes a serem percebidos.  

Publicidade

5. Cruzar a Ponte Luis I

Muitos acreditam que este marco da paisagem do Porto foi projetado por Gustave Eiffel – sim, aquele mesmo, da Torre Eiffel –, mas a história é diferente. Em 1879, o governo abriu um concurso para a construção da ponte sobre o rio Douro e a proposta vencedora foi a do engenheiro Théophile Seyrig, que foi, na verdade, um de seus discípulos. A estrutura composta por vigas retas e parabólicas liga os centros urbanos de Porto e Vila Nova de Gaia, e é visível de várias partes da cidade, por diferentes perspectivas. A parte de cima permite admirar as construções do Porto, enquanto embaixo há os restaurantes no cais da Ribeira que são perfeitos para um entardecer.

6. Conhecer uma catedral histórica

Prepare-se para ser arrebatado, independentemente da sua religião. Visitar a pomposa Sé do Porto, com seu estilo romano-gótico e suas várias capelas, é adentrar um dramático espetáculo que aflora todos os sentidos. O altar principal é imponente e cheio de pequenos detalhes que chamam o olhar, incluindo as pinturas tridimensionais do artista italiano Nicolau Nasoni. Ao mesmo tempo em que um cheiro de incenso queimado toma conta do espaço, a música de um grande órgão de tubos em altos volumes deixa tudo ainda mais intenso. Destaque para outro altar, esse inteiramente de prata, na capela do SS. Sacramento; e para a rara imagem de Virgem Maria grávida nos corredores, onde também encantam os azulejos que não só decoram, mas narram diferentes histórias bíblicas. Catedral + Claustros + Museu + Torre: 3€

Terreiro da Sé, Porto. Seg-Dom 09.00-17.30. https://www.diocese-porto.pt/pt/catedral-do-porto/

Publicidade

7. Fazer carinho em um gatinho famoso

No entorno da Sé do Porto vive Ruca, o gato mais famoso e fotografado da cidade. Reza a lenda que até com o presidente de Portugal ele já posou. Certo mesmo é que ele aparece todo sestroso nos bastidores de um clipe da artista de k-pop CHUU, bem conhecida na Coreia do Sul. O bichano de pelagem tigrada é simpático e adora se enroscar nas pernas dos turistas, acompanhando o trajeto que eles fazem ali no entorno como um verdadeiro guia.  

8. Passear por um dos bairros mais tradicionais do Porto

Sabe aquelas fachadas bem coloridas e decoradas que vêm à cabeça quando pensamos em Portugal? Na Ribeira, existem várias, seja no calçadão que margeia o Douro ou no labirinto de ruas que forma o bairro. É um dos mais importantes do centro histórico e foi classificado como Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO, em 1996. O passeio é perfeito a qualquer hora, mas ganha um charme especial com as luzes da noite, quando jovens se sentam perto do Rio. Há várias lojinhas para turistas e restaurantes com charmosos terraços, ou seja, programação para toda a família. 

Publicidade

9. Comprar pastinhas e compotas de um jeito diferente

Ao passar pela vitrine e ver vários tubinhos, não se engane: parece maquiagem, mas na verdade são deliciosas pastinhas e compotas da loja meia-dúzia. O conceito, criado pelos irmãos Jorge e Andreia, é único no mundo e apresenta os sabores de Portugal de uma forma divertida e inusitada. E o melhor: sem aditivos ou conservantes. Entre na loja, peça para fazer a degustação e descubra qual é o mais interessante para você – nós adoramos o de chutney de pimentão vermelho e o de framboesa com groselha (5,50€, cada). Uma boa dica é levar uma caixinha estilizada para dar de presente (14,90€, com três unidades). 

Travessa da Bainharia, 2 a 8, Porto. Seg-Dom 10.00-13.00 e 14.00-19.00. https://www.meiaduzia.com/

10. Acompanhar os passos de uma rota de fé

Turistas mais atentos podem perceber algumas setas amarelas no chão em algumas partes da cidade. São indicações do Caminho Central Português, a travessia até Santiago de Compostela mais percorrida em território lusitano. A primeira etapa vai de Porto até Vairão, com 15 quilômetros percorridos em zonas urbanas, e passa por ruas escondidinhas onde é comum ver os famosos varais com roupas estendidas. É um trajeto de turismo religioso, percorrido anualmente por milhares de pessoas em busca do suposto túmulo de São Tiago, um dos doze apóstolos de Cristo, na catedral da cidade espanhola. 

Publicidade

11. Visitar uma obra de Cândido Portinari

O Museu Nacional Soares dos Reis ocupa hoje um gigantesco casarão que já foi o Palácio dos Carrancas. Ele é o primeiro museu público de arte de Portugal, e abriga exposições temporárias e uma de longa duração que passa pelas diversas fases da produção artística através de peças de cerâmica, esculturas, gravuras, ourivesaria, mobiliário e pintura. Ao longo do trajeto, ao chegar na parte do Modernismo, os visitantes esbarram com a obra Carnaval, do nosso Cândido Portinari. O museu ainda conta com duas agradáveis áreas externas: o Jardim das Camélias e o Velódromo Rainha Amélia (este ainda pouco conhecido até mesmo pelos locais), onde costumam ser realizadas feirinhas e eventos.

Rua de Dom Manuel II, 44, Porto. Ter-Dom 10.00-18.00. 8€. https://museusoaresdosreis.gov.pt/

12. Comer a famosa francesinha numa taberna

Essa é para os fortes: que tal um sanduíche com presunto, linguiça, salsicha e bife, gratinado com queijo e regado com um molho de cerveja e vinho branco, que pode ainda ter um ovo frito por cima? A famosa francesinha é um prato típico do Porto, criado por um emigrante regressado da França, que decidiu dar um toque especial ao croque-monsieur (diz que ele estava apaixonado por uma francesa, daí o nome). No Yuko, uma taberna típica aberta desde 1987, ela custa 12€. Impossível visitar a cidade sem provar esta iguaria. 

Rua de Costa Cabral, 2331, Porto. Seg-Sab 12.30-14.30 e 19.30-02.00.

Publicidade

13. Entrar no labirinto do Parque de São Roque

Recentemente, a Câmara do Porto investiu 1,4 milhão de euros no Parque de São Roque, com obras nos mirantes e nos espaços de descanso. Construído no século XVII, o parque ganhou mais um hectare de extensão, tendo agora o tamanho de cinco campos de futebol. Foram plantadas mais árvores além das mais de 1000 já existentes, que conferem um constante cheiro de pinho no ar. O icônico labirinto verde também foi preservado – não deixe de entrar e tirar uma foto, fica “giro”, como dizem os locais. O espaço ainda conta com um centro cultural e é perfeito para piqueniques ou a leitura de um bom livro. 

Rua São Roque da Lameira, 2040, Porto. Seg-Dom 08.00-19.00.

14. Ver uma turma das antigas jogando sueca

Recentemente, a Praça Marquês de Pombal virou destino de muitos brasileiros e imigrantes de outros países da Europa que decidiram tentar a vida no Porto. Mas mesmo com a chegada de novatos, uma coisa não muda na vizinhança: durante a tarde, é comum ver por lá idosos reunidos para jogar cartas ou xadrez. O lugar é ótimo para uma pausa antes de voltar para o fervo do centro da cidade.

Publicidade

15. Comprar souvenires em um mercado turístico

Cogumelos, flores, frutas secas, chás, salsichas, vinhos, café, chocolates, artesanato... tem de tudo no Mercado do Bolhão, que acaba de reabrir depois de um hiato de quatro anos para obras de renovação. O edifício data do século XIX e tem como principal foco a venda de frescos: são mais de 70 comerciantes por lá. Se você estiver em busca de lembrancinhas para os amigos e familiares do Rio, não deixe de trazer pequenos azulejos decorados ou pratinhos de louça – só não se esqueça do plástico-bolha para o transporte na mala.

Rua Formosa, 322, Porto. Seg-Sab 08.00-00.00. 

16. Ver pescadores em ação

Ainda que esteja em constante processo de modernização, o Porto é uma cidade de tradições. Especialmente à noite, a paisagem próxima à foz do Douro ganha conhecidos visitantes: pescadores locais que atiram a isca em busca de dourados e robalos para abastecer os restaurantes mais próximos. Por conta da bela vista, o local virou desejo dos nômades digitais – vale lembrar que, no ano passado, o Porto foi eleito a melhor cidade do mundo para quem trabalha em home office, numa votação feita entre 60 cidades pela plataforma britânica de viagens Culture Trip.

Publicidade

17. Jogar mini golfe em um belo jardim

Também na foz do rio Douro, o Jardim do Passeio Alegre é cheio de árvores exóticas, oriundas de vários países do mundo. Ele foi projetado pelo arquiteto paisagista Émile David e construído no final do século XIX. É ladeado por uma alameda de Palmeiras das Canárias, conta com dois Obeliscos de Nasoni e tem belíssimos banheiros públicos construídos em 1910, que foram decorados com azulejos Arte Nova e louças inglesas. Um deles, fechado com uma vitrine de vidro, permanece conservado e é cenário para ótimas fotos. Dentro do jardim ainda há uma cafeteria e dois circuitos de mini golfe.

Rua do Passeio Alegre, 828, Porto. 

18. Visitar uma fortaleza e dar um pulinho na praia

Também conhecido como Castelo do Queijo, o Forte de São Francisco Xavier tem o curioso nome por ter sido construído sobre uma rocha de granito arredondada, com formato parecido com o de um queijo (ou assim dizem). Ao fundo da Avenida da Boavista, com localização privilegiada, começou a tomar forma no século XVII, no reinado de Dom João IV, para defender a cidade contra ofensivas espanholas. Vale fazer uma caminhada margeando o rio até lá, subir ao topo para aproveitar a vista das praias do Porto e de Matosinhos, e depois descer para um passeio na areia grossa. No verão, ela fica cheia, mas mesmo no inverno há quem sente por lá para se aquecer nos raios de sol (sem roupas de banho e cheios de casacos), enquanto outros passeiam e brincam com seus cães.

Praça de Gonçalves Zarco, 20, Porto. Ter-Dom 09.00-18.00. 1,50€

Publicidade

19. Ver um show na Casa da Música

Misto de Cidade das Artes e Circo Voador, o moderno espaço conta com duas salas para apresentações. A principal, batizada em homenagem à violoncelista portuguesa Guilhermina Suggia e com capacidade para cerca de 1300 pessoas, já recebeu nomes nossos, como Gilberto Gil e Gal Costa. Todo ano, a programação elege um país para homenagear e, durante o verão, são realizados shows gratuitos na área externa. Os visitantes podem comprar uma visita guiada pelas instalações do edifício projetado pelo arquiteto holandês Rem Koolhaas (12€). 

Avenida da Boavista 604-610, Porto. https://casadamusica.com/.

20. Comer um enorme sanduíche de presunto (pagando muito barato)

A culinária do Porto é muito baseada em carnes suínas, por isso os embutidos são comuns em qualquer casa típica. Uma delas reúne uma horda de pessoas na hora do almoço, que buscam um lugarzinho em uma das seis mesas ou mesmo no balcão para apreciar um dos melhores "sandes" da área. Aberta há quase 30 anos, a Casa dos Presuntos é uma autêntica tasca, comandada por Francisco Braga, o famoso “Xico”, e sua família. O robusto sanduíche de presunto ou salpicão custa apenas 2,50€ e pode vir com queijo da serra por mais 1€. Dica: peça de entrada uma patanisca, é deliciosa. 

Rua do Heroísmo, 191, Porto. Seg-Sáb 09.00-20.00.

Publicidade

21. Comprar vinho do Porto

O Cabaz do Infante é um ótimo mercado para encontrar vinhos do Porto (e não só) a preços atrativos. Conhecido como "garrafeira", tem rótulos raríssimos e outros com excelente custo-benefício, oriundos de várias regiões. A equipe é atenciosa e dá indicações certeiras de acordo com o gosto dos clientes. O lugar cheio de charme ainda conta com vários produtos portugueses bem tradicionais, como conservas, enlatados e doces. Destaque para os queijos e os itens de charcutaria, excelentes para acompanhar uma taça. Tim-tim.  

Rua de São João, 126 - 132, Porto. Seg-Sex 09.00-20.00, Sab 09.00-13.00. https://cabazdoinfante.com/

22. Conhecer um restaurante premiado Michelin

Prepare-se para uma das melhores refeições da sua vida no bairro do Bonfim. O Euskalduna foi inaugurado em 2016 pelo chef Vasco Coelho Santos, que optou por uma cozinha contemporânea de autor. Em um balcão aberto (o melhor lugar para sentar), a equipe faz o empratamento de 10 etapas e algumas surpresas de forma coreografada, calma e confiante – bem diferente do que vemos nas frenéticas séries de TV. A maior parte dos ingredientes que abastecem as criativas receitas são nacionais e todas elas são explicadas cuidadosamente ao serem servidas. O cardápio varia de acordo com a sazonalidade dos insumos e é possível contratar a harmonização dos vinhos e espumantes. 

Rua de Santo Ildefonso, 404, Porto. Ter-Qui 19.30-23.00, Sex-Sab 13.00-15.00 e 19.30-23.00. 145€. http://www.euskaldunastudio.pt/.

Publicidade

23. Visitar a livraria que inspirou Harry Potter (dizem)

A própria livraria se vende como a mais bonita do mundo, e deve ser mesmo. Adentrar a Lello é mergulhar em um universo de fantasia, que começa na fachada neogótica e se intensifica com os vitrais no teto e os livros raros por todos os lados. No chão, um trilho que em outros tempos ajudava o carrinho a transportar exemplares. Bem ao centro, uma imponente escadaria de piso vermelho, toda trabalhada em madeira, leva ao segundo andar. Dizem que o local serviu de inspiração para J. K. Rowling criar a livraria da série Harry Potter, apesar da própria desmentir isso – ainda que tenha mesmo vivido alguns anos no Porto. Vale avisar: são muitos os fãs de bruxinho em busca de uma foto, então pode demorar até você entrar e conseguir um espaço para fazer a sua.

Rua das Carmelitas, 144, Porto. Seg-Dom 09.00-19.00. 5€ (o valor pode ser descontado na compra de livros).

24. Tomar café num cenário da Belle Époque

Mais um lugar que proporciona uma viagem no tempo é o deslumbrante Majestic Café, com uma imponente sala principal (a la Confeitaria Colombo) e um charmoso jardim de inverno. O espaço conta a história do Porto do anos 1920, dos escritores e dos artistas, dos debates políticos e de ideias. O cardápio é um primor à parte, com direito a croissants (6-10€) e sanduíches (20-30€), além de pratos principais, como massas (30-36€), peixes (29-31€) e carnes (33-34€). Destaque para os doces, incluindo a cheesecake de frutas vermelhas (8€) e coquetéis com vinho do porto.

Rua de Santa Catarina, 112, Porto. Seg-Sab 09.00-23.00.

Publicidade

25. Conhecer o Time Out Market Porto

Anote na agenda: está prevista para maio a inauguração do Time Out Market Porto, que promete ser um sucesso como o de Lisboa e outras capitais. O espaço de dois mil metros quadrados logo ao lado da Estação São Bento vai reunir o melhor da gastronomia da cidade, cuidadosamente selecionado pelos jornalistas especializados da Time Out. Serão 14 bares e restaurantes, incluindo um wine bar no topo de uma torre de 21 metros. Nela também haverá um palco para apresentações musicais e uma franquia da loja A Vida Portuguesa, logo no térreo. Rui Paula e Vasco Coelho Santos são alguns renomados chefs já confirmados, bem como o famoso restaurante vegetariano Fava Tonka e os hambúrgueres do Curb. A capacidade será de 700 pessoas, que poderão aproveitar tudo em grandes mesas compartilhadas, promovendo assim mais encontros no belo Porto.  

Recomendado
    Também poderá gostar
    Também poderá gostar
    Publicidade