A Aparição

Filmes, Drama
2 /5 estrelas
A Aparição

A Time Out diz

2 /5 estrelas

“É presico acreditar”, lá diz a canção. Só que antes convém saber em que é que se acredita. E Jacques (Vincent Lindon), o grande repórter protagonista de A Aparição, do francês Xavier Giannoli, é contactado pelo Vaticano para fazer precisamente isso: integrar a comissão oficial da Santa Sé que vai investigar uma jovem francesa, Anna, que diz que a Virgem Maria lhe apareceu, e avaliar se há provas concretas suficientes para que a Igreja acredite nela – ou a considere uma fraude.

Entretanto, já há milhares
 e milhares de pessoas que
 estão convictas da verdade
 das palavras da rapariga e invadiram a localidade onde ela vive, e começou também a ser produzido merchandising em massa da vidente.

Esta, que parece totalmente sincera e desprovida de qualquer interesse oculto ou oportunista em que acreditem nela, é enquadrada por um padre que a apoia sem reservas e arrisca a suspensão, e por um missionário americano que a quer usar como máquina de angariar fundos.

No seio da comissão de inquérito, que inclui desde um padre a um psiquiatra, a função de Jacques – que não é crente mas também não é hostil à religião organizada – é aplicar a metodologia do trabalho jornalístico ao caso de Anna. Coisa bicuda, já que estamos a falar de visões, do invisível, do inefável, da fé.

A Aparição é parte filme de jornalismo, parte thriller (a certa altura, entra em cena, retroactivamente, um cadáver) e parte reflexão sobre a fé,
 sobre o impulso de acreditar sem reservas, interrogações ou provas indesmentíveis. E Xavier Giannoli procura identificar- nos com a figura de Jacques, interpretado por um Lindon que não consegue libertar-se de uma certa monotonia expressiva e de tom. Mesmo quando a personagem se mostra perturbada com certas coisas que acontecem durante a investigação.

O filme tem um final decepcionante e insatisfatório. Em vez de uma resolução clara, para um lado ou para o outro, Giannoli introduz um twist na história que abre o caminho a uma explicação ecuménica,
 que dá uma no cravo e outra na ferradura. Resultado: a nossa crença, até aí forte, em A Aparição esboroa-se.


Por Eurico de Barros

Por Eurico de Barros

Publicado:

Detalhes

Detalhes da estreia

Classificação
12A
Data de estreia
sexta-feira 3 agosto 2018
Duração
144 minutos

Elenco e equipa

Também poderá gostar