A Ciambra

Filmes, Drama
2 /5 estrelas
A Ciambra

A Time Out diz

2 /5 estrelas

A primeira longa-metragem de Jonas Carpignano, Mediterrânea (2015), tinha tanto de carga
de boas intenções sobre os africanos que viajam ilegalmente para Itália em condições precárias e perigosas, como de carência de forma narrativa e fibra dramática.

A Ciambra, a nova realização de Carpignano, passa-se na Calábria, a mesma zona de Itália a que aportavam os migrantes de Mediterrânea. Mas o realizador vira agora a sua atenção para uma comunidade cigana local, cujos membros interpretam versões ficcionadas deles próprios, e não convivem bem quer com os africanos, quer com os próprios italianos.

São francamente racistas para com aqueles e desprezam estes, embora, para ter dinheiro, estejam às ordens dos mafiosos, que os usam como “infantaria” da delinquência de proximidade (roubo de automóveis, bagagem e mochilas, pequena extorsão, assaltos a casas, etc.).

Se a Mediterrânea faltava também um ponto de vista firme, ele existe agora em A Ciambra, na pessoa de Pio (Pio Amato, que já aparecia naquele filme), um rapaz cigano de 14 anos. Pio ambiciona seguir o irmão mais velho na vida de crime e travou amizade com Ayvia, vindo do Burkina Faso. O curso dos acontecimentos irá pô-lo perante uma escolha que definirá o seu futuro.

Inevitavelmente devedor
 da tradição neo-realista do cinema transalpino, A Ciambra é também representativo de um cinema independente e com preocupações políticas que se faz hoje na Europa.

Tudo isto estaria muito 
bem se não sentíssemos que 
o realizador, além de usar e abusar da câmara peripatética e grudada nas personagens, está, laboriosamente, a contemplar todas as rubricas do caderno de encargos do filme de intervenção e preocupação social, enquanto exibe em simultâneo, e sem 
a menor subtileza, a mochila bastante esfarrapada do realismo documental cru e gutural.

E tal como já sucedia em Mediterrânea, Jonas Carpignano não tem, em A Ciambra, argumentos suficientes para justificar as quase duas horas
 de duração. Nem o jovem
 Pio, com toda a força da sua espontaneidade, consegue impedir que a fita acabe por fatigar o espectador mais disponível.

Por Eurico de Barros

Por Eurico de Barros

Publicado:

Detalhes

Detalhes da estreia

Classificação
15
Data de estreia
sexta-feira 15 junho 2018
Duração
119 minutos

Elenco e equipa