A Portuguesa

Filmes
Escolha dos críticos
2 /5 estrelas
A Portuguesa

A Time Out diz

2 /5 estrelas

E quando julgávamos que tinham desaparecido aqueles filmes “autoristas”, feitos sob a sombra de Manoel de Oliveira, laboriosamente estetizantes, desesperadamente estáticos e declamados, aspirando a ser pintura, encenados como se fossem teatro, com a palavra a pesar toneladas e o ponteiro dramático parado no zero, eis que surge A Portuguesa, de Rita Azevedo Gomes, baseado num conto de Robert Musil, adaptado por essa brilhante mas nada cinematográfica escritora que é Agustina Bessa-Luís. A história decorre no século XVI, em Itália, e envolve uma portuguesa (Clara Riedenstein) casada com um nobre alemão (Marcello Urgeghe), que passa o tempo na guerra. É um daqueles filmes tolhidos, palavrosos e longos, longos, em que só sabemos o que está a acontecer porque as personagens o dizem. Ingrid Caven aparece a cantar e declamar com ar dispéptico, e as interpretações são das modalidades “mosquinha morta” e “direcção de actores absentista”. Vale a soberba fotografia de Acácio de Almeida.

Por Eurico de Barros

Por Eurico de Barros

Publicado:

Detalhes

Detalhes da estreia

Duração
100 minutos

Elenco e equipa