Barbara

Filmes
3 /5 estrelas
Barbara

A Time Out diz

3 /5 estrelas

OS filMes biográficos costumam ser de um convencionalismo monótono. Em Barbara, Mathieu Amalric consegue ao menos ser totalmente anticonvencional. Quase que podemos dizer que ele inventa aqui o filme biográfico conceptual, tão difícil é descrever e definir Barbara. Não é apenas um documentário, embora contenha imagens de arquivo e apareçam pessoas que conheceram e privaram
 com a retratada (a cantora francesa Barbara, nascida 
em 1930 e morta em 1997); e não é só uma ficção, embora Jeanne Balibar interprete uma actriz que vai fazer de Barbara num filme realizado por um devotado e picuinhas admirador dela (Amalric mais uma vez).

Quem não conheça absolutamente nada sobre Barbara sairá do filme praticamente como entrou nele. E como Amalric e Balibar viveram juntos e tiveram dois filhos, Barbara, além de uma evocação impressionista e uma homenagem fragmentada à cantora, pode ser ao mesmo tempo uma chapelada do realizador e actor à sua antiga companheira. O que Barbara não evita são os clichés do filme-dentro-do-filme e da mise en abyme, milho para os pardais mais facilmente impressionáveis. Digamos que é um hábil e curioso filme mutante.

Por Eurico de Barros

Por Eurico de Barros

Publicado:

Detalhes

Detalhes da estreia

Duração
98 minutos

Elenco e equipa