Birds of Prey (e a Fantabulástica Emancipação De Uma Harley Quinn)

Filmes, Acção e aventura
Escolha dos críticos
1 /5 estrelas
Birds of Prey (e a Fantabulástica Emancipação De Uma Harley Quinn)

A Time Out diz

1 /5 estrelas

Na sequência do sucesso de Esquadrão Suicida (2016), e seguindo a lógica dos filmes dos universos da Marvel e da DC (aqui, é caso deste), Birds of Prey apresenta uma Harley Quinn (Margot Robbie de novo) autonomizada do Joker e do grupo de anti-heróis que dá título àquela fita (e já há pelo menos mais três filmes, quer da personagem, quer do próprio Esquadrão Suicida, em projecto). Mas Birds of Prey, de seu quilométrico título completo Birds of Prey (e a Fantabulástica Emancipação De Uma Harley Quinn), apresenta-se também como uma fantasia feminista brutalista, em que Harley Quinn e um grupo de personagens femininas de ambos os lados da lei, impõem a sua justiça num mundo cheio de homens que só as querem prejudicar, oprimir, magoar ou mesmo eliminar (o filme é também realizado e escrito por mulheres, respectivamente Cathy Yan e Christina Hodson, e produzido pela própria Margot Robbie). Nenhum mal viria daí ao mundo, se Birds of Prey não fosse tão boçal, piroso, sádico e visual e sonoramente massacrante. E não tivesse o vilão mais choninhas da história do género, pessimamente interpretado por Ewan McGregor.

Por Eurico de Barros

Publicado:

Detalhes

Detalhes da estreia

Classificação
15
Data de estreia
sexta-feira 7 fevereiro 2020
Duração
109 minutos

Elenco e equipa

Realização
Cathy Yan
Argumento
Christina Hodson
Elenco
Margot Robbie
Rosie Perez
Mary Elizabeth Winstead
Ewan McGregor
Chris Messina
Ella Jay Basco
Também poderá gostar