Bombshell - O Escândalo

Filmes, Drama
2 /5 estrelas
Bombshell - O Escândalo

A Time Out diz

2 /5 estrelas

Depois de Russell Crowe ter aparecido quase irreconhecível sob quilos de próteses de borracha na figura de Roger Ailes – o falecido criador e presidente da Fox News e dos canais Fox – na série da HBO The Loudest Voice (e ganho o Globo de Ouro de Melhor Actor numa Série Dramática), é agora a vez de John Lithgow lhe seguir as pisadas e aparecer no mesmo papel, também artificial e grotescamente engordado, qual Jabba the Hutt do assédio sexual, em Bombshell – O Escândalo, de Jay Roach. A engorda artificial mascarada de interpretação iniciada por Christian Bale em Vice parece estar a fazer escola.

Ao contrário da série, o filme é feito do ponto de vista de Megyn Kelly (Charlize Theron), a antiga pivô-vedeta da Fox News que foi assediada por Ailes, e que, com a Gretchen Carlson de Nicole Kidman e a Kayla Pospisil de Margot Robbie (esta uma personagem inventada), forma o triunvirato de vítimas da predação sexual do falecido peso-pesado (em mais do que um aspecto) dos media e do Partido Republicano.

Bombshell – O Escândalo é feito apartir de uma perspectiva “liberal” (no sentido que a palavra tem nos EUA). A intenção do realizador Jay Roach e do argumentista Charles Randolph (que escreveu o excelente A Queda de Wall Street, em 2015) não se limita a documentar de forma dramatizada os abusos cometidos por Ailes na pessoa das suas jornalistas, durante a sua vigência na Fox News e mesmo antes disso. Roach e Randolph aproveitam também para se atirarem à própria Fox News, que nasceu, sob a égide de Rupert Murdoch, como contrapeso ideológico às outras estações de televisão e de informação em contínuo dos EUA; e também ao Partido Republicano, de que Aisles foi consultor durante longos anos. O filme tem um claro e forte viés político.

Se Ailes é indubitavelmente o vilão da história, com todas as culpas do cartório e mais uma, algumas das personagens, e vítimas, principais de Bombshell – O Escândalo também não saem lá muito bem na fotografia. Quer Kelly, quer Carlson, bem como a ficcionada Kayla, não são propriamente ingénuas sem ambições profissionais. Sabem-se mexer para fazer avançar as suas carreiras e sabem como funciona o meio jornalístico (sobretudo o televisivo). Mas o filme subvaloriza, quando não mesmo escamoteia, essa componente da história, bem como a ácida rivalidade entre Kelly e Carlson. O que não só lhe retira realismo, como tipifica as personagens e estereotipa situações.

E Bombshell – O Escândalo é desonesto quando pretende confinar os abusos sexuais e a cultura sexista a uma estação. Como o prova a recente – e grave – escandaleira envolvendo Matt Lauer na NBC.

Por Eurico de Barros

Por Eurico de Barros

Publicado:

Detalhes

Detalhes da estreia

Classificação
15
Data de estreia
sexta-feira 17 janeiro 2020
Duração
108 minutos

Elenco e equipa

Realização
Jay Roach
Argumento
Charles Randolph
Elenco
Margot Robbie
Charlize Theron
Nicole Kidman
John Lithgow
Kate McKinnon