Greta – Viúva Solitária

Filmes, Drama
3 /5 estrelas
Greta – Viúva Solitária

A Time Out diz

3 /5 estrelas

Às vezes, não compensa ser bonzinho e fazer o que os nossos pais nos ensinaram ou a nossa consciência nos dita. Que o diga Frances (Chloë Grace Moretz), a heroína de Greta – Viúva Solitária, de Neil Jordan, uma jovem de Boston que se mudou para Nova Iorque após a morte da mãe, é empregada num restaurante e partilha o apartamento de uma amiga rica em Manhattan.

Uma noite, de regresso do trabalho, Frances encontra uma mala de senhora no Metro. Sendo uma rapariga bem formada, vai devolvê-la à proprietária, uma senhora francesa chamada Greta (Isabelle Huppert) que mora em Brooklyn, viúva e com uma filha que vive em Paris há vários anos.

Greta é simpática, afectuosa e profundamente só. Frances perdeu a mãe há pouco tempo. Greta reconhece na rapariga uma figura filial, enquanto que esta vê na nova amiga uma presença maternal. Passeiam, conversam, Greta fala a Frances do falecido marido e do seu talento pianístico, da filha que estuda música
b na Europa, e Frances até ajuda Greta a ir escolher um cão ao canil municipal, para lhe fazer companhia. Tudo parece correr bem
 no melhor dos mundos, até ao dia em que Frances descobre uma coisa arrepiante em casa de Greta, e afasta-se dela. Ao que a amiga repudiada se transforma numa perseguidora obsessiva, doentia, da rapariga. Uma perseguidora vestida de Chanel, com óculos escuros de griffe e colar de pérolas.

Neil Jordan já fez muito melhor que Greta – Viúva Solitária, um stalker movie no feminino que passa rapidamente de previsível a inverosímil, apresentando mais buracos lógicos na história do que
um queijo suíço (Frances nunca pensa em mudar de número de telemóvel para deixar de ser assediada por Greta; esta entra no apartamento das duas amigas como se fosse a casa da sogra; aprisionada em casa de Greta, Frances foge... para a cave; etc., etc.).

O que torna Greta – Viúva Solitária suportável e divertido até ao fim, apesar da crescente acumulação de disparates, é, por um lado, o facto de Neil Jordan saber que está a fazer uma série B, mas filmá-la com bons meios de produção e sem abdicar de algum requinte estilístico; e pelo outro, a interpretação de Isabelle Huppert.

Nas mãos de uma qualquer outra actriz, Greta seria apenas uma psicopata idosa
 e grotesca. Huppert transforma-a numa encarnação contemporânea e sofisticada das bruxas más dos contos de fadas (repare-se como lhe basta usar os olhos para transmitir toda a demência e perversidade de Greta). Huppert chama ao papel um figo, monopoliza a nossa atenção com uma perna às costas e torna Greta – Viúva Solitária num good bad movie. Um daqueles maus filmes que saboreamos com mais gozo do que um bom filme banal. As três estrelas da classificação vão inteirinhas para ela.

Por Eurico de Barros

Por Eurico de Barros

Publicado:

Detalhes

Detalhes da estreia

Classificação
15
Data de estreia
sexta-feira 19 abril 2019
Duração
98 minutos

Elenco e equipa

Realização
Neil Jordan
Argumento
Neil Jordan, Ray Wright
Elenco
Isabelle Huppert
Chloe Grace Moretz
Maika Monroe