A Time Out na sua caixa de entrada

Mães Paralelas

  • Filmes
  • 2/5 estrelas
Parallel Mothers
Photograph: ©El Deseo DA SLU_Iglesias Mas
Publicidade

A Time Out diz

2/5 estrelas

Em Mães Paralelas, novo filme de Pedro Almodóvar, Janis (Penélope Cruz), uma fotógrafa de moda de meia-idade e solteira, engravida por acidente. Na maternidade, quando está prestes a dar à luz, conhece a jovem Ana (Milena Smit, uma boa revelação), também solteira, que vive com a mãe, uma actriz, e que também ficou grávida, embora em circunstâncias mais dramáticas. Janis está contente por ir ter um bebé, Ana está apreensiva e assustada. Ficam amigas e não fazem ideia da forma como as suas vidas irão ficar ligadas a partir do momento em que se encontraram nos corredores da maternidade.

Almodóvar é muito gabado (e quase sempre justamente) por compreender como poucos cineastas o funcionamento emocional e psicológico das mulheres, pela sua capacidade de sondar em profundidade o mundo sentimental e mental feminino em toda a sua complexidade e nas suas múltiplas idiossincrasias, e depois traduzir tudo em personagens, situações e histórias cativantes, entusiasmantes e intrincadas nos seus filmes. Em Mães Paralelas, onde o realizador vai buscar, para dar combustível narrativo e sentimental ao enredo, a troca inadvertida de bebés, um dos mais velhos, fáceis e batidos tropos da literatura de cordel, do melodrama barato e das telenovelas de fabrico industrial, esse dom falha-lhe.

Apesar das incontestáveis qualidades de representação das actrizes que as incarnam, Ana e Janis são personagens menos convincentes, consistentes e empaticamente almodovarianas do que é habitual, e circulam por uma intriga que Pedro Almodóvar não consegue evitar ser rasa e choramingona, emocionalmente calculista e reiterativa, que deixa o espectador distante em vez de operar a desejada identificação e envolvimento. E na qual as duas personagens principais mudam de preferências sexuais de um plano para o outro, com a leveza de quem muda de marca de detergente da roupa ou de canal quando se está a ver televisão.

Isto já sem falar nos subenredos de Mães Paralelas, para Almodóvar demonstrar preocupação social e mostrar virtude ideológica, sobre a violência sexual e a controvérsia da memória histórica em Espanha, este último apresentado de forma descaradamente tendenciosa, e com clima em “inho”, a lágrima sempre a tremer no canto do olho das personagens, tal como o próprio filme.

Mães Paralelas não deixa de ter dois ou três momentos brilhantemente almodovarianos (ver a sequência em que Janis e o seu amante arqueólogo estão a fazer amor e o realizador foge do quarto e filma, da rua, as cortinas brancas do quarto a bater ao vento). Mas, do tratamento superficialmente lacrimal do tema da maternidade à intromissão oportunista e deslocada da agenda política, é uma senhora decepção.

Escrito por
Eurico de Barros

Elenco e equipa

  • Realização:Pedro Almodóvar
  • Argumento:Pedro Almodóvar
  • Elenco:
    • Penélope Cruz
    • Milena Smit
    • Israel Elejalde
    • Rossy de Palma
Publicidade
Também poderá gostar