Meu Rei

Filmes, Drama
5 /5 estrelas
Meu Rei

A Time Out diz

5 /5 estrelas

A desvairada história de amor (“amor” não será um termo muito adequado, mas siga) entre Tony (Emmanuelle Bercot) e Georgio (Vincent Cassel) não segue um arco narrativo rigoroso, e o crédito para que este relato não surja convenientemente trancado vai para Maïwenn, realizadora e co-argumentista, e para Etienne Comar, o outro argumentista.

Do primeiro encontro às primeiras saídas, da cama (e da mesa da cozinha do restaurante) à atípica festa de casamento, o caso de Tony e Georgio é violentamente apaixonado. Só que através da narrativa paralela, situada no presente, num centro de reabilitação onde Tony reaprende a caminhar após ter desfeito um joelho num acidente de esqui com ar de tentativa de suicídio, percebe-se que entretanto algo correu muito mal. Georgio é viciado na boémia e em intoxicantes, e o choque entre estilos de vida trepa quando Tony dá à luz.

Não obstante a personagem de Vincent Cassel ser uma espécie de pulha imprevisível com queda para a chantagem psicológica e legal, a relação exposta em Meu Rei é complexa, dura, sem linhas éticas ou de lisura de carácter especialmente definidas. O segredo está na ambiguidade bem sustentada. Nisso e no desempenho superlativo de Emmanuelle Bercot.

Por Jorge Manuel Lopes

Publicado:

Detalhes

Detalhes da estreia

Data de estreia
sexta-feira 27 maio 2016
Duração
124 minutos

Elenco e equipa

Realização
Maïwenn
Argumento
Maïwenn, Etienne Comar
Elenco
Vincent Cassel
Louis Garrel
Emmanuelle Bercot
Também poderá gostar