O Demónio de Néon

Filmes, Terror
1 /5 estrelas
O Demónio de Néon

A Time Out diz

1 /5 estrelas

O realizador de "Drive", Nicholas Winding Refn faz uma incursão atribulada pelo género do terror, com a moda como pano de fundo

Nicolas Winding Refn é tão convencido, tão convencido, que se refere a si mesmo pelas iniciais – NWR – no genérico do seu novo filme, como se fosse uma marca de luxo ou um cantor de hip hop. A fita chama-se O Demónio de Néon e é insondavelmente preciosa e ridícula, toda ela pose, estilo e afectação sem nada por detrás, uma longa publicidade chic-gore. Elle Fanning interpreta uma lindíssima, angelical e diáfana garota de 16 anos que se instala em Los Angeles para vingar no mundo da moda, e acaba literalmente devorada por duas beldades invejosas do seu sucesso instantâneo e por uma maquilhadora cujos avanços lésbicos repeliu. 
 
Refn quer que O Demónio de Néon seja uma metáfora sobre a obsessão malsã pela beleza que leva à modificação doentia dos corpos, e sobre o “implacável” mundo da moda. Mas só consegue ser alambicada, cansativa e grotescamente óbvio, ao mesmo tempo que tenta, e falha com estrondo, emular David Lynch em termos de weirdness opaca e desconcertante, recorrendo para isso a sequências “oníricas” dignas de um teledisco dos anos 80, a um ambiente de thriller bedungoso (as cenas no motel rasca gerido por Keanu Reeves) , e a necrofilia e canibalismo, culminando na cena supostamente chocante e repugnante, mas na verdade hilariante, em que uma das top models vomita um olho humano. Se o filme anterior de Refn, Só Deus Perdoa, era mau de doer, este é mau de rir até à dor de barriga.
 
Eurico de Barros

Por Eurico de Barros

Publicado:

Detalhes

Detalhes da estreia

Data de estreia
sexta-feira 8 julho 2016
Duração
110 minutos

Elenco e equipa

Realização
Nicolas Winding Refn
Argumento
Nicolas Winding Refn, Mary Laws, Polly Stenham
Elenco
Keanu Reeves
Jena Malone
Christina Hendricks
Elle Fanning
Também poderá gostar