Personal Shopper

Filmes, Drama
Escolha dos críticos
4 /5 estrelas
Personal Shopper

A Time Out diz

4 /5 estrelas

Há muitas assombrações em "Personal Shopper", onde o realizador está, por sua vez, assombrado por Kristen Stewart, tendo escrito o filme para ela

Há várias assombrações em ‘personal shopper’, do francês Olivier Assayas. Temos o agressivo fantasma de uma mulher que assombra a casa do falecido irmão de Maureen Cartwright (Kristen Stewart), a personal shopper do título, uma americana que trabalha em Paris como assistente pessoal de Vicky, uma mimada e insuportável top model e designer de moda, para a qual compra roupa e sapatos; e temos ainda Lewis, o gémeo da protagonista, que poderá andar a penar pela dita casa e a seguir Maureen por toda a parte.

Quem também está assombrado, mas na vida real, é o próprio Assayas, e por Kristen Stewart, para a qual escreveuexpressamente este filme, depois de a ter dirigido em As Nuvens de Sils Maria (2014). No qual, curiosamente, Stewart fazia também de assistente pessoal (da actriz interpretada por Juliette Binoche), e cuja personagem em Personal Shopper parece ser um prolongamento desta.

Maureen tem qualidades mediúnicas, e como sofre da mesma doença cardíaca congénita que o desaparecido irmão gémeo, combinou com este que o primeiro a morrer daria ao outro um sinal da existência do Além. É desse sinal, e da garantia de que Lewis está em paz, que Maureen anda à procura, o que a deixa emocionalmente muito frágil. Ao mesmo tempo, e apesar de estar proibida de o fazer pela sua patroa, Maureen, quando esta está ausente da sua casa parisiense, veste-se com as roupas caríssimas e luxuosas que escolhe para ela, e dorme na cama dela.

A fragilidade emocional de Maureen é posta à prova quando um dia é contactada e ameaçada por um estranho no seu telemóvel. O que nos dá direito a um tour de force visual, uma perseguição dialogada via chat de iPhone, durante uma viagem de ida e volta de comboio entre Paris e Londres, com a protagonista cada vez mais perplexa e aterrorizada pelo que o seu perseguidor sabe dela, e da sua vida. É notável a forma como Olivier Assayas cria suspense e extrai efeitos dramáticos de um telemóvel e das suas modalidades de comunicação, numa longa sequência do mais puro recorte hitchcockiano, só que beneficiando das potencialidades cinematográficas das novas tecnologias.

Personal Shopper não é um filme de género no sentido mais estrito da expressão (o que aliás não faz o tipo do realizador). Tem elementos de thriller e de fita de terror, que Assayas aproveita e maneja para construir aquilo a que poderemos chamar uma fantasmagoria realista, onde os temas do espiritualismo, dos espectros, da possibilidade de existência de uma vida para lá desta (há uma referência curiosa às sessões de espiritismo realizadas por Vitor Hugo quando vivia exilado na ilha de Guernsey) contrastam com a realidade materialista de glamour cosmopolita e de luxo com que Maureen coabita, por via das suas funções de assistente pessoal de Vicky.

Esta recusa de Personal Shopper de se fixar num género específico, e de manter um registo ambíguo mesmo até ao fim, pode ter contribuído para o facto de o filme ter sido mal recebido no Festival de Cannes, onde esteve em competição e foi sonoramente vaiado, embora Olivier Assayas tenha acabado por receber o Prémio de Melhor Realizador, ex aequo com Cristian Mungiu (O Exame).

Essa ambiguidade, aliás, está perfeitamente de acordo com as intenções do realizador, já que no final é posta a hipótese de tudo o que acontece a Maureen de aparentemente sobrenatural poder ser fruto da imaginação dela, e a personagem estar mentalmente perturbada. Só que numa sequência anterior, em casa da ex-mulher de Lewis, Assayas mostra-nos, explicitamente, o fantasma do irmão gémeo a dar um sinal da sua presença, quando Maureen está de costas e só nós podemos vê-lo...

Kristen Stewart é magnífica no papel principal, o de uma mulher que não gosta particularmente daquilo que faz, mas fá-lo com eficiência e competência, que despreza a riqueza, o conforto e o luxo do mundo onde vive Kyra, mas ao mesmo tempo é atraída por eles. A sua segurança profissional e maneira despachada contrasta com a sua hipersensibilidade, a sua vulnerabilidade emocional e com a sua total dependência do telemóvel.

Firme e audaciosamente situado algures entre o filme de género e o filme “cinéfilo”, Personal Shopper é uma das boas surpresas deste ano.

Por Eurico de Barros

Por Eurico de Barros

Publicado:

Detalhes

Detalhes da estreia

Classificação
15
Data de estreia
sexta-feira 17 março 2017
Duração
105 minutos

Elenco e equipa

Realização
Olivier Assayas
Elenco
Kristen Stewart
Lars Eidinger
David Bowles