Pieces of a Woman

Filmes
3 /5 estrelas
Pieces of a Woman

A Time Out diz

3 /5 estrelas

O húngaro Kornél Mundruczó abre Pieces of a Woman, o seu primeiro filme em língua inglesa, estreado na Netflix, com um rolo compressor de tragédia sofrida, gritada e chorada, para a seguir passar todo o resto da história em surdina emocional. Num longuíssimo, serpenteante e aflitivo plano-sequência de quase meia hora, Mundruczó filma o parto caseiro falhado de Martha Weiss (Vanessa Kirby), perante a impotência do marido e da parteira, que resulta na morte do bebé, uma menina.

Segue-se, na restante hora e meia de filme, em oito dias separados uns dos outros por um mês, o luto calado, contido e interiorizado de Martha; o desmoronar do seu casamento com o desfeito e desesperado Sean (Shia LaBoeuf); as fricções com a mãe, Elizabeth (Ellen Burstyn), uma viúva rica e dominadora; e um processo em tribunal contra a parteira. Apesar de se ambientar nos EUA, Pieces of a Woman é, na sensibilidade que o molda, no naturalismo impenitente, na abordagem formal e na gestão das emoções, um filme europeu, e de Leste. No papel de Martha, Vanessa Kirby, premiada no Festival de Veneza, é formidável e dá o mote dramático ao filme com a sua interpretação reservada, quase anestesiada. Embora por vezes haja reserva, elipses e metáforas a mais, e ansiemos por um repente de visceralidade melodramática.

Detalhes

Detalhes da estreia

Elenco e equipa

Também poderá gostar