Ramen Shop - Negócio de Família

Filmes, Drama
3 /5 estrelas
Ramen Shop - Negócio de Família

A Time Out diz

3 /5 estrelas

Degustámos ‘Ramen Shop – Negócio de Família’, que combina comida e drama familiar na Ásia.

O Singapurense Eric Kooh, realizador de Ramen Shop – Negócio de Família, gosta muito de ter comida nos seus filmes. A sua primeira longa-metragem, Mee Pok Man (1995), tem como protagonista o tímido dono de um pequeno restaurante de noodles chineses (mee pok) que se envolve com uma prostituta; o telefilme Recipe (2013) centra-se numa jovem chef e nos seus problemas profissionais, familiares e sentimentais; Wanton Mee (2016) segue um crítico gastronómico a passar pela crise da meia-idade e que consegue reinventar-se graças às reportagens que faz nos mercados de comida de Singapura. Khoo assinou também uma série de televisão da HBO, Food Lore (2019), passada nas Filipinas e onde as tradições culinárias deste país têm um papel muito importante.

Feito em 2018, Ramen Shop – Negócio de Família contempla um enredo em que a culinária, a união familiar e as identidades nacionais expressas através da comida são fulcrais. O jovem Masato (Takumi Saitoh), filho de mãe singapurense e pai japonês, trabalha no restaurante de ramen deste, ao lado do tio. A mãe morreu ainda nova e Masato e o pai têm uma relação muito distante. Quando este morre de repente, o rapaz deixa o restaurante nas mãos do tio por algumas semanas e ruma a Singapura, onde nasceu e passou parte da infância.

A sua intenção é retomar o contacto com a família que lá vive, nomeadamente um outro tio, Wee (Mark Lee), também ele chef e dono de um restaurante famoso. Mas também conhecer melhor a cozinha do país da mãe, já que o pai se tinha esforçado por criar novas receitas que combinassem sabores da gastronomia nipónica e da de Singapura, juntando assim as duas culturas, e ao mesmo tempo manter viva a memória da mulher em cada tigela de comida que preparava e servia. Masato está especialmente interessado no bak kut teh, um prato de Singapura tão popular, saboroso, nutritivo e ligado à cozinha tradicional deste país como o ramen no Japão.

Uma vez em Singapura, Masato contacta uma amiga blogger de gastronomia, Miki (Seiko Matsuda), que se torna na sua guia pelos restaurantes e tasquinhas locais, em especial as que servem bak kut teh, reencontra o jovial tio Wee, conhece a tia e as primas e consegue que aquele lhe passe uma receita secreta de família. Mas depara-se com a relutância férrea da avó materna em o ver, pois ela sempre tinha sido contra o casamento da filha com um japonês que a tinha levado de Singapura para o Japão, que invadiu e oprimiu este país na II Guerra Mundial.

Num estilo simples, directo e emocionalmente substancial, mas sem recorrer a pegajosos molhos melodramáticos ou pieguices demasiado doces, e dando bastante tempo de antena visual à comida e sua preparação, Eric Khoo assina em Ramen Shop – Negócio de Família uma fita que celebra a importância dos laços de sangue e o papel fundamental da culinária no encontro (e na reconciliação) das famílias, na vida sentimental e na convivência das culturas, sempre preservando as respectivas identidades. Nos tempos que correm, já não é nada mau.

Por Eurico de Barros

Publicado:

Detalhes

Detalhes da estreia

Duração
89 minutos

Elenco e equipa

Também poderá gostar