Teen Spirit: Conquista o Sonho

Filmes, Drama
3 /5 estrelas
Teen Spirit: Conquista o Sonho

A Time Out diz

3 /5 estrelas

A história é familiar. Uma adolescente sonha ser cantora e inscreve-se num daqueles concursos de televisão que fabricam ídolos do dia para a noite. E é a história de Teen Spirit: Conquista o Sonho, de Max Minghella (filho do falecido Anthony Minguella, o realizador de O Paciente Inglês), que dá a Elle Fanning o papel de Violet, uma introvertida rapariga de 17 anos, de origem polaca, que vive com a mãe na Ilha de Wight, trabalha num pub, canta no coro da igreja e vê o seu talento como a única porta de saída do seu pequeno, cinzento e rotineiro mundo.

Violet inscreve-se, sem a mãe saber, no concurso televisivo Teen Spirit, e arranja um insólito mentor: Vlad (Zlatko Buric), um velho e outrora famoso cantor de ópera russo que as voltas da vida atiraram para Inglaterra, onde vive numa carrinha, bebe muito e ouve os seus discos numa aparelhagem decrépita.

O mérito de Max Minghella é pegar neste enredo com barbas e dar-lhe uma aparência nova dentro da sua matriz familiar. E fá-lo através de uma abordagem em linha recta à história, furtando-se ao sentimentalismo e à prolixidade, de uma atenção aos pequenos mas importantes detalhes de caracterização dos ambientes e das personagens, de um estilo visual recatado ou exuberante conforme as necessidades das situações, e de um olhar pragmático sobre a televisão e o tipo de programas como aquele a que Violet concorre (são o que são, o filme não os “denuncia” nem endossa).

O resto é obra da sensacional Elle Fanning, que está numa séria relação com a câmara e representa tão bem como canta, mostrando como a música é o combustível que acende Violet, a tira do seu cantinho e a faz iluminar tudo em redor.

Por Eurico de Barros

Por Eurico de Barros

Publicado:

Detalhes

Detalhes da estreia

Duração
92 minutos

Elenco e equipa