Get us in your inbox

Raquel Dias da Silva

Raquel Dias da Silva

Na Time Out desde 2018.

raquel.silva@timeout.com

Articles (408)

Fim-de-semana perfeito em família

Fim-de-semana perfeito em família

Com um ano novinho em folha pela frente, não há desculpa para deixar de aproveitar ao máximo os fins‑de-semana em família. Se precisa de entreter as crianças até ficarem sem pilha e ser hora de voltar para a cama, mas andar na rua não é opção por culpa da meteorologia, explore outras sugestões para encher o sábado e o domingo. Há teatro, exposições e muitas outras propostas para, arriscamos escrever, todos os gostos e feitios. Só tem de escolher como os entreter. Se ficar na dúvida, não nos pergunte a nós: pergunte-lhes a eles. Recomendado: As melhores coisas para fazer este fim-de-semana em Lisboa

Exposições em Lisboa para visitar este fim-de-semana

Exposições em Lisboa para visitar este fim-de-semana

Acha que não se passa nada em Lisboa este fim-de-semana? Qual quê. Há muitas exposições a decorrer, porque a cultura recusa-se a desacelerar. Portanto, torne os próximos dias mais culturais, sozinho ou com a família (ou amigos) toda atrelada. Com tantos museus e galerias na cidade, é impossível não ter o que ver. Mas não queremos que se perca e, por isso, dizemos-lhe quais as exposições a que deve prestar mais atenção em Lisboa. Só tem de decidir o que lhe apetece descobrir: pintura, fotografia ou instalações de grande escala. Recomendado: Estas exposições gratuitas em Lisboa valem a visita

Dez brunches buffet para aproveitar sem culpa

Dez brunches buffet para aproveitar sem culpa

Imagine este cenário: torres de panquecas, enchidos e queijos até mais não, fruta para balançar, sopa para aconchegar e tudo o que mais quiser, as vezes que quiser. Não precisa de imaginar, mas de reservar mesa num destes brunches buffet em Lisboa. Convenhamos, brunch e buffet é combinação que raramente falha. Infelizmente, já houve mais diversidade na cidade, talvez por culpa da pandemia que durante muito tempo impediu que os buffet acontecessem. Sem surpresa, ainda é nos hotéis que mais facilmente se encontram estas grandes refeições. A boa notícia é que aos poucos estes banquetes voltam a ser servidos – e o melhor de tudo é que no Verão, alguns incluem mergulhos. Recomendado: Os melhores brunches em Lisboa

Os lançamentos de livros em Fevereiro que vai querer para a estante lá de casa

Os lançamentos de livros em Fevereiro que vai querer para a estante lá de casa

Se a energia acumulada em dias e dias de maratona no sofá ou na cadeira do escritório tornou mais difícil o que antes era fácil (sim, estamos a falar de ler), então está na hora de repor os níveis de leitura. Para o convencer, seleccionámos seis novidades literárias acabadinhas de sair do forno ou ainda em pré-venda, incluindo de autores portugueses. Só tem de marcar o compromisso na agenda. Há romances, poesia e até um livro de ciência para leigos. Lembre-se: ler pede calma e dedicação, mas continua a ser uma das melhores formas de viajar sem sair do sítio. Onde quer que esteja. Recomendado: Como são feitas as capas dos livros? “A grande maioria é uma receita gasta”

Peças de teatro para levar os miúdos

Peças de teatro para levar os miúdos

Há uma infinidade de coisas para fazer com os miúdos em Lisboa durante este mês. Incluindo ir ao teatro. Além de os ensinar a estar atentos e a tirar as suas próprias conclusões, e de lhes apresentar histórias novas, ajuda-os a sossegar (bem sabemos como é difícil convencê-los a estar quietos). Desde a adaptação de clássicos até aventuras novinhas em folha, estas são grandes ideias para gente pequena e decorrem em vários cenários espalhados pela cidade e arredores. Aproveite para tirar os gaiatos de casa antes que estas peças de teatro para toda a família saiam de cena. Recomendado: Fim-de-semana perfeito em família

Gosta de livros? Descubra os clubes de leitura e tertúlias em Lisboa

Gosta de livros? Descubra os clubes de leitura e tertúlias em Lisboa

O maior e mais antigo clube de leitura do mundo chama-se missa e repete-se todos os domingos, sempre com o mesmo livro: a Bíblia, claro. Mas, se procura alternativas laicas e gosta de variar, não se preocupe, que há muito mais por onde escolher. Desde o Heróides, o clube do livro feminista da actriz e encenadora Sara Barros Leitão, até ao clube de leitura do Instituto Cervantes, para quem faz questão de ler na língua de nuestros hermanos, o importante é encontrar um onde se sinta bem-vindo. Só não se pode esquecer que ler não tem acontecer só entre trocas de metro, à noite, antes de ir dormir, ou nas férias de Verão. E não, também não precisa de o fazer sozinho, palavra de escuteiro. Recomendado: As melhores livrarias em Lisboa

Festival PLAY: estes filmes não são para meninos

Festival PLAY: estes filmes não são para meninos

Há dez anos, uma campanha de crowdfunding deu vida ao Play, um festival totalmente dedicado aos mais novos. Desde então, é certinho que, entre Fevereiro e Março, as famílias se sentam no escurinho do cinema, para ver uma selecção dos melhores filmes de todo o mundo. E 2023 não será excepção. Entre 25 de Fevereiro e 5 de Março, a programação inclui mais de 150 filmes, que abordam várias temáticas actuais, desde emergência climática até igualdade de género e inclusão. Entre as novidades e os regressos, há vários destaques a fazer e – para não perder tempo a tentar perceber o que não pode mesmo perder – sugerimos uma mancheia deles. 25 Fev-5 Mar. Cinema São Jorge: vários horários. 2,80€-3€ (sessões de cinema), 1€ (sessões para bebés) e 8,50€ (cine-concertos) | Cinemateca Júnior: vários horários. 1,10€-3,20€ (sessões de cinema) e 2,65€-6€ (ateliers para famílias) Recomendado: Aconteceu: ‘Ice Merchants’ é o primeiro filme português nomeado para um Óscar

Os melhores hotéis em Cascais

Os melhores hotéis em Cascais

Fica a apenas meia hora de Lisboa (se evitar as horas de ponta, claro!), mas pode ser um destino interessante para uma noite romântica, para uma escapadinha de fim-de-semana ou para umas férias de Verão em família, perfeitas para se armar em turista e aproveitar em pleno as melhores praias da Linha. Basta trocar o trânsito infernal da A5 e da marginal por um dos melhores hotéis em Cascais, para passar umas noites especiais embalado pelas ondas. Pode ser uma extravagância mas, depois de fazer check-in, vai ver que não quer outra coisa. Neste roteiro por alguns dos nossos hotéis em Cascais preferidos, encontrará opções para todos os gostos, incluindo as melhores alternativas para levar os miúdos sem correr o risco de não conseguir relaxar. Recomendado: O que há de novo em Cascais

Bares românticos em Lisboa para impressionar num encontro

Bares românticos em Lisboa para impressionar num encontro

A ginga, o vai-não-vai, aquele mando ou não mando mensagem, sabemos como é. Às vezes, só precisa de um empurrão. Ou do sítio certo. A pensar nisso, sugerimos um rol de sítios onde pode levar a cara metade, com cantos, recantos, com pouca gente, música no volume certo, mood convidativo. Não podemos fazer tudo por si, é um facto, mas se seguir as sugestões desta lista de bares românticos em Lisboa fica pelo menos a saber quais são os sítios que lhe sobem os créditos. Sem mel a mais, por favor. Recomendado: Restaurantes em Lisboa com menu do Dia dos Namorados

Ano Novo Chinês em Lisboa: um roteiro pela cidade

Ano Novo Chinês em Lisboa: um roteiro pela cidade

Não há 12 badaladas, muito menos 12 passas e flutes de champanhe. O Ano Novo Chinês começa oficialmente a 22 de Janeiro com o signo Coelho, mas as celebrações começam quando cada um quiser, sobretudo se for com a família ou um grupo de amigos reunidos à volta da mesa. Mas dos festejos que voltam a sair à rua até à programação do Museu do Oriente, a data não passa em claro. Depois, há sempre uma série de bons motivos para embarcar numa odisseia gastronómica pelos sabores do Império do Meio, tudo sem sair de Lisboa. Recomendado: China em Lisboa: uma nova geração à conquista da cidade

Ano Novo Chinês: cursos para aprender mandarim

Ano Novo Chinês: cursos para aprender mandarim

O Ano Novo Chinês está aí e, em jeito de celebração, porque não voltar à escola, mas desta vez para aprender mandarim, na China chamado de pǔtōnghuà? Ao todo, são cerca de 80 mil caracteres, ou hanzis, e mais de mil milhões de falantes (mais do qualquer outro idioma). Para não ficar confúcio, atire-se a estes cursos: online ou presencialmente, só precisa de escolher o que mais lhe aprouver e, claro, uma mão cheia de vontade para aprender uma língua nova. Não prometemos que vá ser mais fácil, mas temos a certeza de que, quando chegar ao fim, vai sentir uma grande satisfação. Recomendado: Ano Novo Chinês em Lisboa: um roteiro pela cidade

Os melhores livros eróticos para aquecer as noites mais frias

Os melhores livros eróticos para aquecer as noites mais frias

Esqueça As Cinquenta Sombras de Grey. A sério, esqueça. Prepare-se antes para entrar no verdadeiro universo perturbador do prazer e do erotismo. Mulheres que se aventuram com desconhecidos, casais aborrecidos que trocam de parceiros, idosos que observam jovens nuas e virgens, e vários affairs românticos. Desde clássicos como as Novelas Eróticas, de M. Teixeira-Gomes, e A Casa das Belas Adormecidas, de Yasunari Kawabata, até ao divertido e politicamente incorrecto Pornopopeia, de Reinaldo Moraes, seleccionámos 15 livros eróticos, mais ou menos descritivos, mais ou menos perturbadores, que prometem aquecer as noites mais frias. Recomendado: Dez cenas de stripteases (ou quase) que o cinema não esquece

News (1958)

“Como é que temos em consideração o bem-estar das algas no rio Tejo?”

“Como é que temos em consideração o bem-estar das algas no rio Tejo?”

O Bauhaus do Mar (Bauhaus of the Seas Sails, em inglês) esteve em lista de espera, mas acabou por ser a sexta proposta escolhida pela Comissão Europeia para servir de farol ao novo Bauhaus Europeu, um movimento criativo e interdisciplinar lançado em 2020 para conceber futuros modos de vida. Liderado por Portugal e financiado em cinco milhões de euros, divididos pelos 18 parceiros do consórcio, o projecto arrancou em Lisboa a 1 de Fevereiro com uma série de demonstrações no Hub Criativo do Beato, onde se reuniram pela primeira vez todos os parceiros, agentes nacionais e convidados de outras cidades europeias envolvidas (Roterdão, Veneza, Hamburgo, Malmo, Génova e Oeiras). A partir de agora e ao longo dos próximos três anos, pretende-se, por um lado, reimaginar as cidades costeiras e, por outro, mapear, promover e estimular novas formas de relacionamento com o território líquido. Entre as iniciativas previstas, destacam-se a criação de um Fórum do Mar, de um menu regenerativo para o rio Tejo e de um “Blue Makerspace”, um laboratório e espaço de investigação com materiais do mar. “O projecto surgiu a partir de um convite dos ministros da Ciência e da Cultura para formar um grupo de trabalho, que começasse a pensar numa possível resposta àquilo que se estava a delinear no contexto da Comissão Europeia como o novo Bauhaus Europeu, mas acabámos por perceber que não fazia sentido ser um governo a fazer a candidatura e, nessa altura, submetemo-la a partir do Instituto Superior Técnic

Como se desmistifica o luto em família? Esta peça ajuda a perceber que o medo faz parte

Como se desmistifica o luto em família? Esta peça ajuda a perceber que o medo faz parte

Falar da morte – sobretudo da morte de alguém que nos é próximo e por quem nutrimos um certo afecto – nunca é fácil. Mas explicá-la aos mais novos não tem de ser um bicho de sete cabeças. A morte é, ainda que dolorosa, um processo natural e, ao longo da vida, a experiência da perda e do luto reclamará o seu lugar de diferentes formas. Cabe-nos a nós, maiores e mais pequenos, descobrir como lidar com as emoções menos felizes e, porventura, até como é que nos podem servir como alimento para coisas bonitas. É precisamente sobre isso que reflecte a nova criação de Teresa Coutinho. A partir de Simão Sem Medo. Os jardins das cerejeiras, um livro de Miguel Granja ilustrado por Beatriz Bagulho, a encenadora e dramaturga deu vida a Simone, à sua família e à viagem onírica que a jovem faz em busca de alguém que perdeu. Em cena no Centro Cultural de Belém, Sem Medo estreia para as famílias este fim-de-semana, 4 e 5 de Janeiro. “O convite chegou-me da Fábrica das Artes, que me propôs criar a partir de Simão Sem Medo [por sua vez inspirado no clássico de José Gomes Ferreira, Aventuras de João Sem Medo], no qual encontrei vários gatilhos interessantes, nomeadamente o facto de, logo no início, o Simão perder a avó e ser isso que o faz atravessar o mundo real para uma paisagem de fantasia. Apesar de, na verdade, não ser um tema tão explorado no livro do Miguel, pareceu-me ser o que mais faria sentido levar a palco, porque a morte, o luto e a perda são grandes tabus. Quando colocamos crianças

Em Fevereiro, há cinema grátis para pais e filhos no Montijo

Em Fevereiro, há cinema grátis para pais e filhos no Montijo

As Sessões de Cinema Infantil, gratuitas para crianças entre os três e os 12 anos e respectivos acompanhantes, estão de regresso ao Alegro Montijo. A iniciativa, promovida em parceria com os Cinemas NOS, arranca no próximo dia 5 de Fevereiro, com a exibição do filme de animação Cinderela e a Pequena Feiticeira, de Alice Blehart. Ao todo, estão marcadas quatro sessões, sempre ao domingo, às 11.00. Depois da primeira, no dia 5, segue-se a exibição da comédia O Amigo Crocodilo (VP,) de Josh Gordon e Will Speck (12 Fev), Mínimos 2: A Ascensão de Gru, de Kyle Balda e Brad Ableson (19 Fev) e Cantar! 2, de Garth Jennings (26 Fev). Com uma lotação máxima de 177 pessoas, as sessões são gratuitas para famílias (um adulto e até duas crianças entre os três e os 12 anos). Para reservar lugar, basta inscrever-se no Balcão de Apoio ao Cliente do Alegro Montijo, de quarta-feira a domingo, entre as 10.00 e as 23.00, na semana que antecede a sessão pretendida. Os vouchers são entregues na hora. Alegro Montijo. 5-26 Fev, Dom 11.00. Grátis, mediante inscrição prévia + Festival PLAY: estes filmes não são para meninos + Para continuar a “salvar vidas”, a Skoola precisa de financiamento

Palácio Nacional da Pena recupera decoração original da Sala de Visitas

Palácio Nacional da Pena recupera decoração original da Sala de Visitas

Foram precisos sete anos para reconstituir a decoração original da Sala de Visitas do Palácio Nacional da Pena. Além de se ter apurado que a maioria das peças que decoravam o espaço no século XIX continuavam no acervo do Palácio, tendo agora regressado ao local para o qual foram escolhidas, foi finalmente possível reconstituir, “fielmente”, os têxteis em veludo azul dos estofos e da armação do fogão de sala. Entre pintura mural, mobiliário e demais objectos decorativos, sobressai o “ouro sobre azul”, reflexo do investimento feito pelo rei D. Fernando II numa “decoração luxuosa, elegante e sofisticada, que impressionasse quem ali era recebido”, como revela a Parques de Sintra em comunicado. A Sala de Visitas, conjuntamente com a Sala Verde e o Átrio da Sacristia, faziam parte da zona mais pública do palácio. As visitas quotidianas de D. Fernando II e da Condessa D’Edla entravam pela porta do Átrio da Sacristia, aguardavam na Sala Verde, onde se encontrava o livro onde assinavam o seu nome, e só depois eram recebidas, de pé, na Sala de Visitas. Algumas chegavam a ser convidadas a aceder a áreas mais privadas, mas tudo dependia do grau de proximidade com o monarca e a Condessa, do assunto a tratar ou da causa da visita. Para perceber como era a Sala de Visitas nessa época, foi necessário estudar os inventários históricos do monumento, o seu acervo e até as facturas das aquisições de D. Fernando II, o monarca responsável por mandar edificar o Palácio da Pena, para a decoração de

Cascais tem um novo forno a lenha. Se o quiser usar, só tem de marcar

Cascais tem um novo forno a lenha. Se o quiser usar, só tem de marcar

O município de Cascais inaugurou o Forno da Horta da Quinta do Pisão no passado sábado, 21. O programa de lançamento do equipamento arranca este sábado, 28, com a presença de Vítor Sobral. Entre as 10.00 e as 12.30, o chef vai, por um lado, dar indicações sobre a correcta utilização deste tipo de forno e, por outro, confeccionar pão e uma pizza fechada com ingredientes vindos directamente da horta da quinta. No final da demonstração, será possível saborear os resultados. Além de reunirem padeiros, chefs, moleiros e técnicos da área, em formato de workshop e troca de experiências, as próximas actividades programadas, para os dias 4 e 11 de Fevereiro, vão servir também para aproximar a população de temáticas relacionadas com a importância e vantagens do forno tradicional e dos cereais biológicos. Em destaque, estará a confecção do pão, em forno a lenha, e os benefícios de um sistema alimentar local, sazonal e biológico, que também tem sido promovido pelo projecto Terras de Cascais. No sábado, 4 de Fevereiro, entre as 10.00 e as 12.00, o dia será dedicado ao “Trigo Barbela, a produção local e a Alquimia do Pão”, num workshop conduzido pelo padeiro Celso Santos, que é também responsável por acompanhar todo o circuito do cereal, e por João Vieira, protector e impulsionador do trigo barbela, uma espécie de trigo rica em nutrientes e óleos naturais, que já esteve extinta e é ainda quase inexistente nas searas nacionais. Já no dia 11, entre as 10.00 e as 12.30, poderá aprender sobre

A Casa do Alentejo faz 100 anos e a festa prolonga-se até Junho

A Casa do Alentejo faz 100 anos e a festa prolonga-se até Junho

Revisitar a presença e a influência alentejana na região de Lisboa durante a última década. É esta a promessa do programa de comemorações do centenário da Casa do Alentejo, que se instalou na cidade como Grémio Alentejano no dia 10 de Junho de 1923. Agora, sob o mote “100 anos – Por Amor ao Alentejo”, a festa faz-se com várias iniciativas culturais, desde o lançamento de um livro, ainda sem data prevista, até à sessão solene, marcada para o próximo 10 de Junho, que contará com o espectáculo É tão grande o Alentejo. As comemorações começam com a inauguração de uma escultura no Páteo Árabe, “que tem a assinatura de um homem alentejano, [o escultor] Jorge Pé Curto”, adianta Rosa Guerreiro Dias, presidente do Conselho Disciplinar da Casa do Alentejo. “Depois, o lançamento do livro do centenário, a ser editado pela Colibri, à frente da qual está um homem – que se chama Fernando Mão de Ferro – que eu considero ser o grande editor dos alentejanos e do Alentejo.” A data ainda não está definida, mas o livro, que se vai debruçar sobre a história da região e sobre a Casa do Alentejo, tem sido escrito a “várias mãos”. Entre muitas outras iniciativas, a programação, que se estende até 10 de Junho, prevê ainda o percurso “O Cante pela Rua”, do Largo do Carmo até às Portas de Santo Antão, bem como semanas temáticas, tardes culturais animadas com música e dança, um serão alentejano com poetas populares, o regresso do prémio Casa do Alentejo e uma grande exposição de pintura, fotografia e art

Asteróide passa “extraordinariamente perto” da Terra esta sexta-feira

Asteróide passa “extraordinariamente perto” da Terra esta sexta-feira

O asteróide 2023 BU vai passar a apenas cerca de 3500 quilómetros da superfície do planeta na madrugada desta quinta para sexta-feira, de 26 para 27 de Janeiro. Acredita-se ter entre 3,5 metros e 8,5 metros de diâmetro e a sua passagem é um dos encontros mais iminentes já registados, adiantou a agência espacial norte-americana NASA. Mas não se preocupe, que ficará a uma distância de segurança e não haverá qualquer risco de nos cair em cima. Descoberto no sábado passado, 21 de Janeiro, o 2023 BU foi observado pela primeira vez a partir do observatório MARGO, em Nauchnyi, na Crimeia, pelo fabricante de telescópios e astrónomo amador Gennadiy Borisov. Se o nome não lhe é estranho, é porque Borisov já não é novato nesta coisa das descobertas. Em 2019, não só descobriu como deu nome ao primeiro cometa interestelar conhecido, o 2I/Borisov, que nos visitou vindo de um outro sistema solar. Já o 2023 BU pertence ao grupo de asteróides Apolo, que cruzam a certa altura a órbita da Terra e vem de uma cintura de corpos rochosos situada entre Marte e Júpiter, onde (prepare-se) se encontra um asteróide chamado Portugal, descoberto em 1986. Para avaliar o risco de colisão com a Terra, o seu rasto tem estado a ser seguido não só por outros observatórios, como pelo Centro de Pequenos Planetas (MPC, na sigla em inglês), que é responsável pela identificação, designação e cálculo das órbitas de pequenos planetas, como asteróides. Mas, apesar da sua passagem rasante, acima da ponta sul da América

Este livro convida os mais novos a trocar a desconfiança pela curiosidade

Este livro convida os mais novos a trocar a desconfiança pela curiosidade

Era uma vez… Não, esperem, nem sequer sabemos qual o espaço-tempo desta história. O que interessa é que há uma turma desconfiada de livros e uma professora de Matemática prestes a resolver esse problema que é não saber o quão mágico pode ser enfiar o nariz numa nova aventura. Com ilustrações de Hélder Teixeira Peleja e texto original de Margarida Fonseca Santos, Um Problema Explosivo convida os mais novos a trocar a desconfiança pela curiosidade, e a descobrir, por um lado, os benefícios e, por outro, os prazeres da leitura. A ideia para este novo livro surgiu graças a uma “recordação recorrente”, conta-nos Margarida. Um dos seus filhos parou de ler quando se viu obrigado a resumir o que lia. Para reverter a situação, a autora decidiu “armadilhar a casa” com livros abertos, sempre virados para baixo. “Lia-os e sorria, deixava-os no sítio”, diz-nos por e-mail, e imaginamo-la a sorrir, traquina. É que o embuste teve frutos. O miúdo começou a pegar num, depois noutro, e entretanto nunca mais foi capaz de resistir ao mistério. “Um dia, numa primeira aula de escrita, numa turma dificílima, apresentei-me e disse-lhes que ia contar uma história. Refilaram, disseram que não eram crianças. Mas pedi que me dessem uma oportunidade, e contei”, recorda Margarida, cheia de exemplos de como os livros são ferramentas de mudança. “Para ler, para querer ler, a curiosidade tem de ser estimulada, e nada melhor que o mistério, que a maravilha do ouvir, do contar, mesmo com hortaliças à mistura, c

Terrapleno de Santos volta a receber a Feira de Inverno até Fevereiro

Terrapleno de Santos volta a receber a Feira de Inverno até Fevereiro

A Feira de Inverno, que a Junta de Freguesia da Estrela promoveu no ano passado pela primeira vez, vai voltar a animar a cidade, desta vez de 26 de Janeiro a 27 de Fevereiro, todos os dias, entre as 12.00 e a 01.00 ou 02.00 da manhã. Além dos espaços de venda de artesanato e produtos regionais, poderá contar – mais uma vez – com atracções para toda a família, desde carrosséis até carrinhos de choque. Foi no ano passado que, sem sinalética nem cartazes a anunciar, a Feira de Inverno se instalou pela primeira vez no Terrapleno de Santos, mesmo junto ao rio Tejo. Surgiu como uma versão miniatura de uma Feira Popular, com carrosséis, carrinhos de choque, diversões infantis e, claro, uma zona de restauração farta em cachorros, bifanas, hambúrgueres, churros e gulosas farturas. Este ano, haverá canguru, roda gigante, vários carrosséis, carrinhos de choque e muitas outras surpresas. Com entrada livre, não há sequer desculpa para não levantar o rabo e ir passear. Terrapleno de Santos. Seg-Sex 14.00-01.00, Sáb-Dom 12.00-02.00. Entrada livre Notícia actualizada com informação sobre as atracções confirmadas às 17.40 de 25 de Janeiro.  + Madonna regressa a Lisboa em Novembro. Mas só vem cá cantar + Leia já, grátis, a edição digital da Time Out Portugal deste mês

Procuram-se novos talentos da dança. A competição começa já no final do mês

Procuram-se novos talentos da dança. A competição começa já no final do mês

A Jazzy Battle, promovida pelo Jazzy Dance Studios, vai voltar a realizar-se, desta vez no centro comercial UBBO, já nos próximos dias 28 e 29 de Janeiro. Durante dois dias, vários nomes da dança nacional e internacional – desde o francês Tiboun ao português César Nusik – reúnem-se para encontrar novos talentos. “Acreditamos que este é mais um passo para continuar a fazer crescer a comunidade da dança no nosso país, e agradecemos ao UBBO estar completamente empenhado em acompanhar-nos neste objectivo”, afirma Álvaro Lopes, director-geral da Jazzy Dance Studios. As eliminatórias, oitavos e quartos-de-final estão previstos para a tarde de 28 de Janeiro. O objectivo é encontrar os quatro melhores dançarinos de cada categoria – breaking, hip-hop, house e popping –, para disputar as meias-finais e a final no dia seguinte, 29 de Janeiro. O júri é composto pelos artistas Tiboun (França), Remi (Bulgária), Alex (Rússia), Kawa (Espanha), Max Oliveira, Viegas, Wilson Sanches e César Nusik (Portugal). O prémio é monetário e varia entre os 75€ e os 150€. Já as crianças dos seis aos 12 anos são convidadas a competir numa Battle All Styles, agendada para a manhã do dia 29. Mas há mais. A programação inclui ainda, no mesmo dia, workshops temáticos de popping com Tiboun, hip-hop com Remi e breaking com Kawa. Se quiser participar, em vez de ficar só a assistir, as inscrições para as batalhas (5€-10€) e para os workshops (15€ cada) ainda estão a decorrer no site da Jazzy, onde poderá encontrar

Jardim Sonoro volta a ser Lisb-On e já há datas para a próxima edição

Jardim Sonoro volta a ser Lisb-On e já há datas para a próxima edição

A mudança de nome foi anunciada em 2021, mas afinal foi só mesmo para a edição de 2022. Este ano, o Lisb-On não assumiu a alcunha – Jardim Sonoro – e, em vez de acontecer só em Setembro, arranca a 30 de Junho e prolonga-se até 2 de Julho, no Jardim Keil do Amaral. “Diz-nos o vento que este ano vai ter as condições perfeitas para a jardinagem. Por isso, decidimos dar início à cultura mais cedo”, lê-se em comunicado do evento, que promete anunciar os primeiros nomes em breve. No ano passado, o cartaz contava com mais de 50 artistas – inclusive Jeff Mills, figura histórica do techno de Detroit –, que se apresentaram em concertos, live acts, showcases e DJ sets. Os bilhetes Early Birds, que dão acesso aos três dias de festival, já estão disponíveis por 80,25€, em quantidade limitada, no site SeeTickets. + A norte-americana Madonna vai dar mais um concerto na Altice Arena + A nova Time Out Lisboa de Inverno já está nas bancas e cheira a Verão

Frio. Lisboa sob aviso amarelo até quarta-feira

Frio. Lisboa sob aviso amarelo até quarta-feira

A semana passada foi marcada por um aviso vermelho por causa da agitação marítima. Agora, o país fica sob aviso amarelo por causa do frio, que está a ser causado por um anticiclone localizado no Norte da Europa e se estende em crista até ao Atlântico, transportando “uma massa de ar frio continental para a Península Ibérica”. Até ao final da semana, as temperaturas mínimas devem variar aproximadamente entre os 0 e os 5 graus Celsius – sendo inferior no interior Norte e Centro, onde poderá baixar até aos -6º. O aviso amarelo é emitido pelo Instituto Português do Mar da Atmosfera (IPMA) sempre que existe uma situação de risco para determinadas actividades, dependentes da situação meteorológica. À semelhança dos distritos do Porto, Faro, Setúbal, Santarém, Viana do Castelo, Leiria, Aveiro, Coimbra e Braga, Lisboa está sob aviso até às 07.00 de quarta-feira, 25 de Janeiro. Os restantes oito distritos – Bragança, Viseu, Évora, Guarda, Vila Real, Beja, Castelo Branco e Portalegre – mantêm-se sob aviso até às 06.00 de quinta-feira, dia 26. A temperatura máxima também irá descer, prevendo-se na generalidade do território valores entre os dez e os 15 graus – entre os cinco e os dez no interior Norte e Centro. Ao nível da protecção individual, deverá evitar-se exposição prolongada ao frio e às mudanças bruscas de temperatura, mantendo o corpo quente através, por exemplo, do uso de várias camadas de roupa, de preferência folgada, bem como de calçado antiderrapante, para evitar quedas. +

The best things in life are free.

Get our free newsletter – it’s great.

Loading animation
Déjà vu! We already have this email. Try another?

🙌 Awesome, you're subscribed!

Thanks for subscribing! Look out for your first newsletter in your inbox soon!