Get us in your inbox

Mariana Correia de Barros

Mariana Correia de Barros

Articles (88)

Aulas de boxe em Lisboa: vamos andar à pêra?

Aulas de boxe em Lisboa: vamos andar à pêra?

Quem nunca sonhou ter um saco de pancada em casa para descarregar o stress do dia-a-dia (pode sempre imaginar que eŐĀ o seu chefe...) que ponha o dedo no ar. As aulas de boxe podem ser uma solu√ß√£o para esse e outros problemas ‚Äď como ficar em forma. J√°¬†se sabe que praticar desporto √© fundamental, e os¬†exerc√≠cios ditos de luta est√£o associados √† descarga de energia e ao lado mais cat√°rtico da pr√°tica desportiva. Se est√° indeciso entre comprar¬†um saco de boxe para ter em casa ou recorrer √†s aulas de grupo, deixamos-lhe¬†bons argumentos para optar pelo segundo cen√°rio.¬† Recomendado: Dar o corpo ao manifesto¬†‚Äst os novos gin√°sios em Lisboa

Lojas tradicionais: as mercearias de Lisboa onde o tratam pelo nome

Lojas tradicionais: as mercearias de Lisboa onde o tratam pelo nome

Casas centen√°rias, outras mais recentes. Talvez se lembre de entrar pela m√£o do pai, da m√£e, da av√≥ ou do av√ī, at√© pela da madrinha, numa destas mercearias casti√ßas e devidamente atafulhadas de Hist√≥ria. Se calhar n√£o, dando-se o caso de ser jovem e ainda as estar a descobrir. Mas, uma vez descobertas, n√£o vai ter d√ļvidas de onde encontrar os¬†melhores queijos e enchidos, fruta fresca, legumes cheirosos, sumos e frutos secos. Ah, e o charme, claro est√°, porque estas lojas s√£o tamb√©m lugares de encanto, onde volta e meia j√° nos conhecem pelo nome. Conhe√ßa o roteiro das melhores mercearias¬†tradicionais de¬†Lisboa e deixe-se encantar. N√£o h√° pandemia que as mande abaixo. Recomendado: As lojas mais bonitas de Lisboa

O melhor dos mercados de Lisboa

O melhor dos mercados de Lisboa

Em Lisboa, há óptimos mercados que não são super, nem hiper, mas merecem outro tipo de prefixos: pela supersimpatia, hiperdisponibilidade e megaversatilidade. Fizemos uma ronda pelos produtos da época, banca a banca. Fomos deitar olho às novidades e aos êxitos de sempre; tentar provar que a tradição ainda é, mais ou menos, o que era; e descobrir tanto as paragens obrigatórias como os novos projectos da cidade. Há os clássicos, os de cara lavada, outros à espera de trocar de nome e ainda os que estão a precisar de uma mãozinha. Mas têm todos frescura, variedade e qualidade. Só faltam os fregueses. Depois de ler esta lista, não deixe de visitar os mercados de Lisboa. Recomendado: As melhores lojas tradicionais em Lisboa

Os melhores cafés para trabalhar em Lisboa

Os melhores cafés para trabalhar em Lisboa

Se é daquelas pessoas que precisa de silêncio total para trabalhar, então vá para uma biblioteca. Mas se é dos que aprecia um burburinho de fundo, um café sempre à mão e algo para ir picando enquanto dá aos neurónios, o melhor é pegar no seu portátil, no caderno e na caneta e dirigir-se a um café. Felizmente, na cidade, não faltam sítios para o fazer. Instale-se confortavelmente e junte ao pedido de café, o da password da internet: é que estes são os melhores cafés para trabalhar em Lisboa. Recomendado: Os melhores sítios para estudar em Lisboa

Menus de almoço para provar nos grandes restaurantes japoneses em Lisboa

Menus de almoço para provar nos grandes restaurantes japoneses em Lisboa

Est√£o dispon√≠veis de segunda a sexta-feira e quase todos incluem sushi¬†‚Äď mas h√° outros pratos nip√≥nicos que vale a pena provar. Parta connosco √† descoberta dos melhores menus de almo√ßo japoneses em Lisboa.¬† Recomendado: Os melhores restaurantes japoneses em Lisboa

As melhores praias na Zambujeira do Mar

As melhores praias na Zambujeira do Mar

A Zambujeira do Mar √©¬†um para√≠so de √°guas cristalinas, areias soltas e forma√ß√Ķes rochosas imponentes.¬†Portanto, pegue em si e fa√ßa a viagem costa abaixo. Respire fundo, deixe a confus√£o para tr√°s e explore¬†as praias do litoral alentejano.¬†S√£o muitas, s√£o boas, para naturistas e para fam√≠lias, para surfistas, para levar os patudos ou para torrar na companhia de um livro e nada mais. S√£o as melhores praias da Zambujeira do Mar e arredores. Bons banhos. Recomendado: As praias paradis√≠acas que ainda resistem no Algarve ¬†

As melhores praias na Zambujeira do Mar

As melhores praias na Zambujeira do Mar

S√£o (s√≥) 212 quil√≥metros que separam Lisboa de um para√≠so de √°guas cristalinas, areias soltas e forma√ß√Ķes rochosas imponentes.¬†Portanto, pegue em si e fa√ßa a viagem costa abaixo; pode at√© apanhar duas destas estradas que podiam ter sa√≠do de um filme. Respire fundo, deixe a confus√£o para tr√°s,¬†e explore¬†as praias do litoral alentejano.¬†S√£o muitas, s√£o boas, para naturistas e para fam√≠lias, para surfistas, para levar os patudos ou para torrar na companhia de um livro e nada mais. S√£o as melhores praias da Zambujeira do Mar e arredores. Recomendado: 12 praias fluviais perto de Lisboa¬†

As melhores praias na Comporta e em Tróia

As melhores praias na Comporta e em Tróia

Agora que o calor j√° come√ßa a pedir para salgar a pele, e que as restri√ß√Ķes e cuidados a ter j√° s√£o conhecidos, √© altura de pensar em aventurar-se. E dizemo-lo n√£o no sentido de fazer da praia a sua ostra e arriscar aquela festa de sunset. Longe. Dizemo-lo no sentido de explorar op√ß√Ķes seguras, s√≠tios como os que lhe damos abaixo; de Tr√≥ia a Melides o que n√£o falta s√£o boas op√ß√Ķes, e tem at√© praias desertas (esperamos n√≥s) para poder abra√ßar o Ver√£o sem grandes p√ļblicos. Quebre a rotina, pegue nos mi√ļdos ou nos livros, ou mesmo s√≥ no protector solar e conhe√ßa as melhores praias na Comporta e em Tr√≥ia. Recomendado: Os melhores s√≠tios para ficar na Comporta ¬†

David Jesus: Fomos conhecer o braço direito de José Avillez

David Jesus: Fomos conhecer o braço direito de José Avillez

Aos s√°bados √† noite, assim que saem os √ļltimos clientes do Belcanto, a equipa troca as jalecas e os aventais pela roupa de desporto e dirige-se a um campo de futebol na Ajuda. Os jogos duram at√© √†s duas da manh√£ e s√£o mais de divers√£o do que de competi√ß√£o aguerrida, mas David Jesus admite que joga sempre para ganhar. ‚ÄúDa mesma maneira que n√£o sou capaz de estar na cozinha a jogar para empate, no futebol tamb√©m n√£o.‚ÄĚ O ritual repete-se sempre que h√° disponibilidade, com partidas entre os jogadores da casa, com equipas dos restaurantes do Grupo Jos√© Avillez ou at√© com outros restaurantes de Lisboa. ‚Äú√Äs vezes eles t√™m mi√ļdos mais frescos, que correm mais e jogam melhor, mas eu acredito que podemos ganhar tudo. A vontade, a ambi√ß√£o, o sonho, o querer e o esp√≠rito ganham sempre.‚ÄĚ Guarda-redes, defesa, avan√ßado, Jesus joga em todo o lado. ‚ÄúFutebol √© para correr e marcar golos. L√° n√£o sou chefe de ningu√©m, sou igual a eles.‚ÄĚ √Č este esp√≠rito de equipa ‚Äď e de lideran√ßa ‚Äď que o n√ļmero dois de Jos√© Avillez passa a quem com ele trabalha. Recomendado: Todos os restaurantes de Jos√© Avillez em Lisboa

Os melhores restaurantes na Zambujeira do Mar

Os melhores restaurantes na Zambujeira do Mar

Peixe fresco e marisco, ou at√© uma boa carne de porco preto. Alguns dos melhores s√≠tios para comer e beber na Costa Alentejana est√£o na Zambujeira do Mar e estas s√£o as nossas sugest√Ķes para depois de um mergulho nos Alteirinhos ou na praia da Am√°lia.¬† E deixamos-lhe uma dica: na Rua do Sol Nascente, mesmo no centro da Zambujeira do Mar, existe uma padaria que s√≥ vende p√£o alentejano de 400, 800 e 1200 gramas, t√£o popular entre os moradores, que conv√©m ir cedo para n√£o perder a fornada. Por agora, fique com os¬†melhores restaurantes na Zambujeira do Mar. Recomendado: Os melhores restaurantes em Vila Nova de Milfontes

Os melhores restaurantes em Vila Nova de Milfontes

Os melhores restaurantes em Vila Nova de Milfontes

Atire-se aos pratos e diga que o empurraram. N√£o pode mesmo perder os melhores restaurantes em Vila Nova de Milfontes ‚ÄĒ porque ir ao Alentejo e n√£o estragar a dieta, n√£o vale. Vila Nova de Milfontes podia muito bem ser Vila Nova do Mil restaurantes, tantas s√£o as mesas √† nossa espera. V√° por n√≥s, almoce e jante por aqui. Quer carne ou peixe? Marisco ou s√≥ tapas? Petiscos, marisco, peixe ou carne ‚ÄĒ aqui h√° de tudo, para todos. Jante junto ao mar ou no meio da vila.¬†Descubra os melhores restaurantes em Vila Nova de Milfontes. Recomendado:¬†Os melhores hot√©is da Costa Alentejana ¬† ¬†

O melhor de Melides

O melhor de Melides

A pouco mais de uma hora de Lisboa, Melides oferece-nos o que de melhor podemos ter na Costa Alentejana: boa praia e bom petisco. Mas n√£o tenha medo, h√° mais para descobrir nesta aldeia, mesmo que o sol n√£o queira aparecer. 130 kms. √Č apenas isso que separa Lisboa desta aldeia de areais extensos. Apetece-lhe fugir da cidade? Dizemos-lhe as melhores coisas que pode fazer em Melides.¬†Siga o nosso roteiro.¬† Uma vez em Melides, deixamos-lhe uma dica: v√° at√© Vale Figueira, pergunte pela padaria da Tia Jesu√≠na e descubra o aut√™ntico p√£o alentejano, vendido s√≥ √†s ter√ßas, quintas, sextas e s√°bados.¬† Recomendado:¬†Os melhores hot√©is da Costa Alentejana

Listings and reviews (73)

Monte da Estrela - Country House & Spa

Monte da Estrela - Country House & Spa

Antes de ler tudo sobre este bonito agroturismo que abriu entre Moura e MouraŐÉo, pouse este guia, pegue num aparelho com internet, abra o Google Images e escreva ‚ÄúAldeia da Estrela‚ÄĚ. EŐĀ incriŐĀvel, naŐÉo eŐĀ? Pois. O Monte da Estrela fica mesmo ao lado. Organizam degustacŐßoŐÉes de vinhos e produtos da regiaŐÉo, teŐām programas de jardinagem, de colheita de frutos no pomar, de ovos no galinheiro, organizam piqueniques, programas de barco no Alqueva e por aiŐĀ fora. Dentro de casa haŐĀ uma sala de jogos com snooker, um spa e ‚Äď pequeno grande pormenor ‚Äď piso em xisto aquecido no Inverno e arrefecido no VeraŐÉo. Tem requintes taŐÉo simples como alfazemas frescas tiradas do jardim a aromatizar o guardanapo de pano, sumo das laranjas da propriedade, ovos cozinhados na hora e bolo caseiro, ainda morno. JaŐĀ que aqui estaŐĀ:¬†Na vila de MouraŐÉo, a claŐĀssica Adega Velha nunca desilude, com a sua coleccŐßaŐÉo de raŐĀdios antigos, o seu cozido de graŐÉo, a encharcada e os cantares alentejanos que despontam sem ensaio entre copos de vinho da casa.

Avenida SushiCafé

Avenida SushiCafé

4 out of 5 stars

O Avenida SushiCaf√© √© j√° uma institui√ß√£o quando falamos de gastronomia japonesa. Daniel Rente, o chef executivo √† frente dos restaurantes de todo o grupo SushiCaf√©, sabe-a toda: o menu deste restaurante, feito com mat√©ria-prima nacional e uma boa dose de criatividade, √© perfeito para quem gosta de sushi tradicional, com qualidade, mas tamb√©m para aqueles que gostam de arriscar. O menu de degusta√ß√£o √© a melhor maneira de provar de tudo um pouco, mas se preferir pedir √† carta, pe√ßa o sashimi em pedra de sal dos Himalaias. Perfeito para:¬†Ter reuni√Ķes de copo e pauzinhos na m√£o. Obrigat√≥rio provar:¬†O¬†mille-feuilles tuna tartar, com t√°rtaro de atum.

Três Marias

Três Marias

‚ÄúQueremos que as pessoas se sintam em casa.‚ÄĚ √Č assim, de forma simples, enquanto apela ao lado familiar do espa√ßo, que Baltasar Trueb, nascido na Su√≠√ßa, a viver na costa alentejana h√° largos anos, fala do Tr√™s Marias. A frase, que provavelmente j√° ouviu ser proferida por pessoas de v√°rias unidades de alojamento do g√©nero, est√° longe de ser conversa fiada. Estamos aqui para explicar porqu√™. O Tr√™s Marias √© acolhedor. √Č uma verdadeira casa de campo alentejana, com v√°rias zonas de quartos ‚Äď abriu em 2004, com apenas dois, mas tem vindo a crescer ao longo dos anos e j√° soma 15 ‚Äď, todos com varanda privada e cadeiras ou sof√°s para ficar c√° fora a ouvir a natureza. Dividem-se entre quartos duplos, duplos superiores e duplos com mezzanine e est√£o cheios de amenities, que v√£o de um cheiroso gel de banho natural ao material necess√°rio para ch√° e caf√©, dos copos de vinho a um sof√° para se estender. Aqui n√£o h√° televis√£o nos quartos, o wi-fi s√≥ funciona bem na zona comum, o que significa que √© para quem gosta de verdadeiro sossego. No Tr√™s Marias o staff parece transparente. Aparece para dar o bom dia e avisar que o bolo do pequeno-almo√ßo (sempre delicioso) est√° quase a sair, aparece √† hora do jantar, a servir refei√ß√Ķes alentejanas a quem escolhe jantar por ali, e aparece na despedida, na infeliz hora de fazer o check-out, a desejar um ‚Äúat√© breve‚ÄĚ. Tudo o que precisar de bebidas, como √°gua, sumos, caf√©s ou copos de vinho, funciona no regime honesty bar, isto √©, tudo o que consumir deve

Casa de Sementes Soares & Rebelo

Casa de Sementes Soares & Rebelo

It opened in 1935 when Praça do Comércio was still a meeting point for merchants and buyers. In small paper packages or big stripped bags, you’ll find endless colourful seeds: vegetables, flowers, beans, onions, peas, poppy, tulips or chrysanthemum.

A Mariazinha

A Mariazinha

A par do nome, é tudo
apetitoso nesta casa de chás e cafés de Alvalade. A fachada azul turquesa, os placards informativos com a idade da loja ainda pendurados, as caixas que se enchem de boas amêndoas na Páscoa. E chocolates de leite, bombons, abóbora cristalizada, amêndoas, castanhas piladas ou figos secos. Enfim, se é guloso chegou ao paraíso neste cantinho histórico no bairro de Alvalade, de portas abertas desde 1934. Não perca também o rol de chás e cafés na velha Casa Mariazinha, entre uma mistura marroquinas ou arábica colombiana ou o famoso lote Extra de café da casa, 60% arábica, 40% robusta.Claro que também há cafeterias e bules para o figurino ficar completo.

Pérola do Rossio

Pérola do Rossio

Esta P√©rola foi fundada em 1923, por M√°rio Lopes de Moraes, e permanece nas m√£os da mesma fam√≠lia h√° cerca de tr√™s gera√ß√Ķes. Nesta loja, o o caf√© e o ch√° assumem o protagonismo, sem descurar todos os produtos associados a esta experi√™ncia, como vinhos, nacionais e estrangeiros, doces e compotas, bolachas e biscoitos, chocolates, m√°quinas de caf√© e bules, claro. O letreiro luminoso √© um dos sobreviventes de um Rossio em n√©ons que o tempo j√° n√£o traz de volta, assim como as m√°quinas ‚Ä®de moagem de caf√©, para onde entram os gr√£os torrados do Lote P√©rola do Rossio e do Ultramarino, este √ļltimo feito apenas com caf√©s vindos de ex-col√≥nias portuguesas. H√° ch√°s vendidos a quilo, de misturas pr√©-feitas ou de sabores escolhidos pelos clientes, h√° chocolates portugueses e su√≠√ßos e muitos biscoitos, como os esses de Alcoba√ßa.

Casa Mac√°rio

Casa Mac√°rio

Nos parapeitos das janelas desta casa centen√°ria da Rua Augusta ainda se podem ler as palavras ‚Äúch√°‚ÄĚ e ‚Äúcaf√©‚ÄĚ, gravadas em placas de bronze. L√° dentro, em cima dos arm√°rios, est√£o sinais luminosos que anunciam ‚Äúbiscoitos‚ÄĚ e ‚Äúchocolates‚ÄĚ. Faltam apenas as palavras ‚Äúvinhos‚ÄĚ e ‚Äúguloseimas‚ÄĚ‚Ä®para completar o leque de produtos que aqui se vendem. Conhecidos pelos ch√°s e caf√©s, tiveram durante v√°rios anos uma torrefac√ß√£o pr√≥pria, altura em que recebiam o caf√© em verde, vindo do mundo inteiro, mas continuam a comercializar os lotes da casa, a par de uma aposta em vinhos do Porto, dos s√©culos XIX e XX, de rebu√ßados, chocolates e outros doces.

Pérola do Chaimite

Pérola do Chaimite

A idade avan√ßada n√£o impediu a P√©rola do Chaimite de continuar a apostar na divulga√ß√£o e venda de produtos √† moda dos tempos de hoje. Tem um delicioso site ‚Äď e por delicioso entenda-se uma montra das dezenas de produtos gulosos que vende ‚Äď e continua a trazer ao centro da cidade uma s√©rie de marcas, como os famosos bolos da Casa Greg√≥rio, em Sintra, o vinho de Carcavelos, os caramelos El Casario ou os rebu√ßados Diamante. Isto sem entrar na extensa lista de caf√©s de S√£o Tom√© e Pr√≠ncipe, Col√īmbia ou Nicar√°gua e dos ch√°s e tisanas que lhe deram fama ao longo dos anos e, pela popularidade do s√≠tio, continuam a dar.

Cafélia

Cafélia

À esquerda, estão as bolachas 
da Paupério, dentro de caixas
 de tampa transparente para venda a peso; à direita, ficam os vários rebuçados, dos Penhas
 aos Caramelos; à frente, estão
os recipientes com frutos secos, muitos e variados; no balcão atrás guardam-se os cafés, como o lote Marquês de Pombal, o Bar ou o Cafélia, a cevada e a chicória; na cave, infelizmente não há metros quadrados à vista para tudo, ficam as ervas aromáticas. Dizer que não há espaço para mais uma agulha é mentira, porque na época de Páscoa a loja enche-se de amêndoas de todas as cores e sabores, de chocolates e ovos. Posto isto, só podemos desejar longa vida à Cafélia.

A Carioca

A Carioca

Experimente passar dez minutos encostado ao balc√£o desta pequenina e hist√≥rica ‚Ä®loja de caf√©s e ch√°s do Chiado‚Ä® e veja quantos turistas‚Ä® entram encantados com as preciosidades da montra, abrem a boca de espanto com as m√°quinas de moagem de caf√© e saem com sacos cheios de,‚Ä®l√° est√°, caf√©s, ch√°s, bolachas, rebu√ßados e at√© cafeteiras manuais. Os caf√©s s√£o torrados numa torrefac√ß√£o pr√≥pria nos Anjos (Negrita Caf√©s), os ch√°s v√™m da √ćndia, Jap√£o, China e A√ßores (Gorreana), mas aqui tamb√©m j√° piscam o olho √† modernidade: h√° lotes da casa vendidos em c√°psulas para as m√°quinas Nespresso ‚Äď e s√£o bem bons.

Casa Pereira

Casa Pereira

4 out of 5 stars

H√° as bolachas da Paup√©rio, expostas em pratos individuais atr√°s de uma vitrine; h√° os gulosos chocolates com laranja; h√° o inconfund√≠vel cheiro a‚Ä®caf√© acabado de moer, sempre dos lotes da casa; h√° os v√°rios ch√°s que d√£o para meia hora de conversa at√© escolher um; h√° as gavetas cheias de rebu√ßados; e h√° os v√°rios colaboradores ‚Äď ‚ÄúDiga, menina, o que vai ser?‚ÄĚ ‚Äď sempre vestidos de fato cinzento. Aqui a antiguidade √© a palavra de ordem.

Garrafeira Manuel Tavares

Garrafeira Manuel Tavares

4 out of 5 stars

√Č um h√≠brido entre garrafeira, mercearia fina, charcutaria e loja gourmet. Curiosamente, joga cartas altas em todas estas frentes e √© f√°cil sair-se dali ora com um vinho do Porto do nosso ano de nascimento, ora com uma moira regional de Lamego, ora com um saco de frutas cristalizadas. ‚ÄúO nosso produto n√ļmero 1 √© mesmo o vinho do Porto‚ÄĚ, explica Marta Ladeira, na loja h√° 24 anos, sentada no nanoescrit√≥rio da cave, onde est√£o a maior parte dos vinhos ‚Äď o mais caro, neste momento, custa 3230‚ā¨ e √© um Real Companhia Velha de 1867 ‚Äď muitos deles exemplares bem raros. ‚Äú√Č uma casa tradicional que tentamos modernizar q.b.‚ÄĚ Foi por isso que lan√ßaram uma garrafeira online, mas que ainda mant√™m um grande trabalho de investiga√ß√£o para continuar a trazer bons produtos do pa√≠s inteiro, sejam eles velhos ou novidades de mercado.

News (65)

Bistro 100 Maneiras: a cozinha de Ljubomir agora é servida todo o dia

Bistro 100 Maneiras: a cozinha de Ljubomir agora é servida todo o dia

Boas not√≠cias para os aficionados da cozinha de Ljubomir Stanisic: o Bistro 100 Maneiras come√ßou a abrir, desde o final de Maio, durante todo o dia. A not√≠cia chegou sob a forma de e-mail, com o sugestivo t√≠tulo ‚ÄúBistro soma e segue‚ÄĚ, e l√° dentro explicado na f√≥rmula ‚ÄúBistro soma (horas) e segue (rumo ao Ver√£o)‚ÄĚ. Mas √© imposs√≠vel n√£o associar tamb√©m a frase √† √ļltima distin√ß√£o do espa√ßo, em terceiro lugar na lista dos 50 melhores do mundo para a Monocle, sendo o √ļnico portugu√™s nos dez primeiros. Adiante. A porta est√° agora aberta todos os dias do 12.00 √†s 02.00 e quem a atravessa pode ter experi√™ncias diferentes, consoante as horas do dia. Aos almo√ßos h√° um novo menu, servido at√© √†s 15.00. A alguns pratos incontorn√°veis do restaurante, como o burek jugoslavo com queijo e espinafres (11‚ā¨) ou o tataki de entrec√īte com cogumelos e ovo (27‚ā¨), juntam-se outros pratos sazonais dos jantares, como as lulas de anzol grelhadas com risoto de lima e tapenade (28‚ā¨), por exemplo. A nova veia dita mais vegetariana, que o chef tem vindo a explorar no restaurante Terroir, no Six Senses Douro Valley, chega ao Bistro sob a forma de saladas, como a de beterraba e queijo de cabra (14‚ā¨) ou a de end√≠vias, nozes, queijo de S√£o Jorge e p√≥len de abelha (12‚ā¨, chamada Endiviamento p√ļblico). ¬† O m√≠tico burek jugoslavo ¬© Fabrice Demoulin / 100 Maneiras ¬† No almo√ßo de apresenta√ß√£o, onde se viajou por boa parte da carta, Ljubomir Stanisic explicou que a carta √© ‚Äúum conjunto de coisas mais frescas. Muitas

Ant√≥nia Petiscos, o 30¬ļ melhor restaurante do mundo‚Ķ para a Monocle

Ant√≥nia Petiscos, o 30¬ļ melhor restaurante do mundo‚Ķ para a Monocle

A lista de 50 melhores restaurante do mundo da Monocle coloca o Ant√≥nia Petiscos, no Bairro Alto, na 30¬™ posi√ß√£o. Fomos¬†perceber porqu√™. Os Monocle Restaurant Awards elegem, h√° quatro anos, os 50 melhores restaurantes ditos de bairro, num afastamento propositado das estrelas Michelin e da comida em pequenas doses. Este ano, foram anunciados em Maio, numa nova edi√ß√£o da revista, a primeira The Monocle Drinking & Dining Directory, e com a alma de sempre: uma escolha de restaurantes onde ‚Äúos nossos editores comeram bem (ou provaram √≥ptimos cocktails) e foram bem recebidos‚ÄĚ, l√™-se. A lista traz duas not√≠cias para Lisboa. Em terceiro lugar dos melhores do mundo, est√° o Bistro 100 Maneiras (parab√©ns) e em 30¬ļ o Ant√≥nia Petiscos, no Bairro Alto.¬† ¬† ¬† A distin√ß√£o da Monocle Fotografia: Manuel Manso ¬† ¬† Agora pergunta-se o leitor, at√© habitualmente conhecedor dos restaurantes na cidade: ‚Äúo que √© o Ant√≥nia Petiscos?‚ÄĚ De acordo com a revista, √© um ‚Äús√≠tio agradavelmente caseiro‚ÄĚ, no meio de um Bairro Alto ‚Äúcheio de turistas‚ÄĚ.¬† O restaurante fica no n√ļmero 49 na Rua do Norte. O Facebook, onde soma o valor de 4,8 (em cinco estrelas), tem o √ļltimo post publicado a 9 de Maio de 2017, e nem disponibiliza o n√ļmero de telefone; no TripAdvisor est√° em 960¬ļ lugar dos 4038 restaurantes de Lisboa, com 4 estrelas (em cinco); a Time Out, confessamos, nunca l√° tinha entrado.¬† Em conversa com o Maheshwor Kunwor, o nepal√™s que est√° √† frente do restaurante, percebemos que houve uma mudan√ßa de donos e c

Martine Love: vestidos de Viana com amor. E muito estilo

Martine Love: vestidos de Viana com amor. E muito estilo

Reza a hist√≥ria que os Bordados de Viana do Castelo, hoje uma marca certificada, nasceram oficialmente no Ver√£o de 1917. Tudo gra√ßas ao talento e vontade de Geminiana Branco, respons√°vel por criar ateli√™s de ensino de bordados, como forma de subsist√™ncia para as fam√≠lias cujos maridos estavam na guerra. Cento e um anos depois, na Primavera de 2018, nasce a Martine Love, uma marca lisboeta de vestidos bordados √† m√£o em Viana do Castelo. Tudo gra√ßas ao talento e vontade de Marta Champalimaud, respons√°vel por pegar numa t√©cnica centen√°ria e imprimi-la em pe√ßas de inspira√ß√£o vintage, exclusivas e, h√° que refor√ßar o t√≠tulo, com muito estilo. ¬† Vestido Cacela ¬© Carlos Pinto ¬† O nome Martine Love apareceu h√° v√°rios anos, como pseud√≥nimo de Facebook, mesmo antes de Marta Champalimaud, 32 anos, saber que rumo havia de lhe dar. H√° oito anos, conta, ficou respons√°vel por tr√™s lojas de roupa. ‚ÄúFoi uma fase importante, de muita aprendizagem, e foi a√≠ que come√ßou a crescer dentro de mim o conceito da marca.‚ÄĚ O resultado, isto √©, os vestidos que chegam agora ao mercado, por enquanto vendidos apenas no showroom, na Rua da Madalena, t√™m inspira√ß√£o em tudo. Desde filmes a viagens, de conversas a m√ļsicas. ‚ÄúFoi a vida que me inspirou‚ÄĚ. Mas h√° um momento de viragem, claro. Sendo buyer de uma loja de hotel [The Oitavos, em Cascais], via-se obrigada a comprar roupa de estilo resort wear. ‚ÄúN√£o era nada f√°cil encontrar uma marca portuguesa que satisfizesse essa necessidade. √Ä fome juntou-se a vont

Mesaluisa: isto n√£o √© um restaurante, √© uma sala de refei√ß√Ķes

Mesaluisa: isto n√£o √© um restaurante, √© uma sala de refei√ß√Ķes

H√° um novo projecto no Cais do Sodr√© que celebra o gosto portugu√™s de estar √† mesa. Tudo come√ßa com uma sess√£o de compras no Mercado da Ribeira, seguida de um momento de cozinha onde todas as m√£os dispon√≠veis s√£o bem-vindas, para terminar numa grande refei√ß√£o de ra√≠zes portuguesas. Caetano Veloso j√° l√° esteve. E a Time Out tamb√©m. ¬† ‚ÄúQuem gosta de cortar cebolas?‚ÄĚ, atira Lu√≠sa Villar para o ar. ‚ÄúEu‚ÄĚ, responde Martine, uma francesa que veio conhecer o Mesaluisa. ‚ÄúEnt√£o aqui tem as facas‚ÄĚ, mostra, enquanto abre uma gaveta com v√°rios modelos de material cortante, para depois explicar que parte servir√° para as am√™ijoas e outra seguir√° para o forno com o fresqu√≠ssimo pargo comprado na banca de Rosanamar, no vizinho Mercado da Ribeira. ¬† ¬† Lu√≠sa Villar no Mercado da Ribeira, junto da banca da Rosanamar. Fotografia: Manuel Manso ¬† Enquanto Martine corta cebolas, Lu√≠sa prepara o peixe, Ana, amiga e ajudante de Lu√≠sa, vai orientando outros detalhes do almo√ßo e esta que vos escreve lava e retira as grainhas ao tomate, em prepara√ß√£o para a sopa do dito. L√° fora h√° quem j√° esteja ao sol, a petiscar azeitonas, queijos frescos, p√£o alentejano da Herdade do Freixo do Meio (e que p√£o!) e a beber um copo de vinho ‚Äď tamb√©m dispon√≠vel para os cozinheiros improvisados.¬† ¬† Petiscos no P√°tio da Ribeira. Fotografia: Manuel Manso ¬† ¬† Tudo isto acontece no P√°tio da Ribeira, dentro de um antigo ateli√™ de costura, recentemente convertido em cozinha aberta para uma sala de refei√ß√Ķes, onde Lu√≠sa Vi

O novo Cantinho do Avillez abre dia 7 de Maio no Parque das Na√ß√Ķes

O novo Cantinho do Avillez abre dia 7 de Maio no Parque das Na√ß√Ķes

Ningu√©m p√°ra Jos√© Avillez. Disso j√° n√£o h√° d√ļvidas, tantas t√™m sido as aberturas dos √ļltimos tempos¬†‚ÄstPitaria e Cantina Z√© Avillez¬†desde que o ano come√ßou, s√≥ para recordar os mais distra√≠dos. Mas a not√≠cia n√£o √© essa. √Č antes o que vai ser o seu pr√≥ximo projecto. √Č um terceiro Cantinho do Avillez, na¬†Rua do Bojador, no Parque das Na√ß√Ķes, que tem como vizinhos de peso o The Old House e o Senhor Peixe. De novo para os mais distra√≠dos, trata-se do mesmo conceito com que inaugurou a conquista da cidade, em 2011, e que j√° replicou no Porto, com algumas nuances. ¬† Lascas de bacalhau com migas soltas e ovo BT ¬† ¬† O novo restaurante abre no dia 7 de Maio, segunda-feira, e √© prov√°vel que tenha algumas diferen√ßas em rela√ß√£o ao irm√£o do Chiado. A carta ainda n√£o est√° 100% fechada, mas os¬†cl√°ssicos do Cantinho do Avillez¬†v√£o marcar presen√ßa. Falamos dos peixinhos da horta com molho t√°rtaro, do t√°rtaro de atum com sabores asi√°ticos, dos ovos cozidos a baixa temperatura, com chouri√ßo e p√£o frito, das lascas de bacalhau e do prego MX-LX, um prato d.i.y. bem popular. Para finalizar, n√£o podia faltar a sobremesa que se celebrizou no primeiro restaurante, a Avel√£3, al√©m do bolo de chocolate √† Cantinho com gelado de morango. ¬† Avel√£ 3 ¬† ¬† ¬† O projecto de decora√ß√£o ficou a cargo da artista Joana Astolfi, que j√° trabalha com o Grupo Jos√© Avillez h√° v√°rios anos. O projecto nos dois nos dois andares, como sempre, surpreendeu. H√° tamb√©m uma bel√≠ssima esplanada, virada para o Jardim Garcia de Ho

A Tasca Kome vai começar a servir jantares kaiseki

A Tasca Kome vai começar a servir jantares kaiseki

O leitor mais distra√≠do, mais virado para as artes e menos para o m√©tier gastron√≥mico provavelmente desconhece a palavra ‚Äúkaiseki‚ÄĚ ‚Äď e neste momento repetiu na sua mente ‚Äúkai-qu√™?‚ÄĚ. Trata-se de um menu de degusta√ß√£o tradicional do Jap√£o, feito com produtos de √©poca. E a Tasca Kome, restaurante na Baixa da japonesa Yuko Yamamoto, inaugura dia 13 Maio o servi√ßo de jantares kaiseki, que se repetir√£o uma vez por m√™s. Esta √© a boa not√≠cia. Mas h√° uma m√°: a primeira data j√° est√° esgotada (estaremos perante um fen√≥meno viral?). E tudo aconteceu em menos de dois dias. N√£o ajuda serem apenas 15 lugares, note-se, n√£o ajuda o restaurante ser um dos melhores japoneses de Lisboa, claro, mas a verdade dos factos √© esta. A equipa, por√©m, j√° est√° a equacionar fazer mais do que um jantar em Maio (e nos meses seguintes) e come√ßou a recolher todos os nomes de quem tentou reservar e chegou tarde. ¬† Caso queira juntar-se √† lista, aqui ficam os detalhes sobre o jantar kaiseki. √Č um menu quase em exclusivo feito de pratos quentes ‚Äď ‚Äúnum dos √ļltimos jantares que tivemos do g√©nero, houve apenas uma pe√ßa de sushi‚ÄĚ, explica uma colaboradora ‚Äď, cozinhado s√≥ com produtos de √©poca, com uma sequ√™ncia de sete a oito pratos e mais uma sobremesa. A prepar√°-lo est√° o chef Masumi Ono, o japon√™s que tem estado √† frente da cozinha nos √ļltimos anos, com Yuko Yamamoto a chefiar o restaurante e mais dedicada √†s sobremesas. Tem o pre√ßo de 80‚ā¨ e as bebidas s√£o √† parte. As reservas devem ser feitas para o e-mail ko

J√° abriu a Cantina Z√© Avillez: o 14.¬ļ restaurante do chef

J√° abriu a Cantina Z√© Avillez: o 14.¬ļ restaurante do chef

Que Jos√© Avillez tem bicho carpinteiro, j√° todos t√≠nhamos percebido. O ritmo de aberturas desde que inaugurou em Lisboa o seu Cantinho, em Setembro de 2011, tem sido, se fizermos a m√©dia, bianual. Mas 2018 promete ser diferente. O ano ainda vai no adro e j√° nos deu dois novos espa√ßos: a Pitaria, onde s√≥ serve pitas com sabores do M√©dio Oriente, e agora a Cantina Z√© Avillez, o t√£o falado restaurante que j√° estava anunciado para o Campo das Cebolas e finalmente v√™ a luz do dia. ¬† Polvo √† Bacalhoeiro @ Jos√© Avillez ¬† Fica na Rua dos Arameiros (em pleno Campo das Cebolas), tem duas salas e uma esplanada com vista para o jardim rec√©m-remodelado, e a cozinha, anuncia o Grupo Avillez em comunicado, √© ‚Äúportuguesa familiar‚ÄĚ, num registo de ‚Äúcantina contempor√Ęnea‚ÄĚ, um estilo que at√© agora o chef apenas apresentava, com algumas semelhan√ßas, no Caf√© Lisboa e na Taberna, dentro do Bairro do Avillez. Com uma nuance: aqui √© tudo ainda mais portugu√™s. ¬† H√° mesas a dar para a rua e tamb√©m uma esplanada ¬© Bruno Calado ¬† Falamos de pratos como as empadinhas de alheira com emuls√£o de tomate (3‚ā¨), a sopa de feij√£o com couve lombarda (3‚ā¨), a saladinha de polvo com batata doce (7,50‚ā¨), o prego de cora√ß√£o de alcatra (5,50‚ā¨), o bacalhau lascado com grelos, crosta de broa e alheira (15‚ā¨), as iscas finas com batatas fritas e cebolada (12‚ā¨) e, como boa casa portuguesa, o bitoque com ovo a cavalo e batatas fritas (13‚ā¨). Nas sobremesas h√° toucinho do c√©u (4‚ā¨) e a incontorn√°vel avel√£3 (4,50‚ā¨). Mas h√° m

Doces Teresa Pyrrait: Campo de Ourique com mais a√ß√ļcar

Doces Teresa Pyrrait: Campo de Ourique com mais a√ß√ļcar

Gulosos de Lisboa, rejubilai! Abriu uma loja de bolos em Campo de Ourique com tanta e t√£o boa oferta que nem o ser-humano mais focado na dieta vai conseguir resistir. O s√≠tio chama-se Doces Teresa Pyrrait, tem tr√™s meses de vida, mas o neg√≥cio da confec√ß√£o de bolos conta 27 anos no mercado. E √© prov√°vel que o conhe√ßa de outros campeonatos, como a lista de sobremesas d‚ÄôO Magano, do Coelho da Rocha ou do N√≥s √© Mais Bolos. Teresa Pyrrait come√ßou a fazer bolos na faculdade ‚Äúpara ganhar algum dinheiro‚ÄĚ. Vendia para a La Trattoria, o italiano da Artilharia 1 que foi seu cliente durante v√°rios anos, trabalho que conciliava primeiro com o curso de Economia e depois com um emprego a tempo inteiro, e h√° 15 anos decidiu sair e dedicar-se apenas ao neg√≥cio dos bolos em casa. Os restaurantes foram-se multiplicando - vende tamb√©m para o Solar dos Duques, o Stop, a Doca Peixe ou os v√°rios Prego da Peixaria, por exemplo - os clientes particulares idem e da√≠ a vontade de abrir um espa√ßo pr√≥prio. ¬† Teresa Pyrrait Fotografia: Arlindo Camacho ¬† ¬† No andar de baixo ficam a cozinha, a despensa (que despensa!) e os armaz√©ns. No andar de cima est√° o balc√£o dos bolos, ou melhor, o centro da tenta√ß√£o, e est√£o algumas mesas para se sentar a comer as miniaturas que Teresa come√ßou a cozinhar quando abriu a loja¬†‚Äď apesar de ningu√©m o impedir de comer um bolo inteiro, claro, dos que est√£o tamb√©m em exposi√ß√£o na montra. ‚ÄúA ideia n√£o √© ser bem um caf√©. Mas um s√≠tio onde as pessoas possam conhecer os bolos,

Conheça tudo o que vai mudar nos Mercados de Lisboa

Conheça tudo o que vai mudar nos Mercados de Lisboa

Est√° em curso at√© 2020 o Plano Municipal dos Mercados de Lisboa 2016-2020, com o objectivo de refor√ßar o papel dos mercados na vida de bairro. Duarte Cordeiro, vereador com o pelouro da Economia e Inova√ß√£o, Servi√ßos Urbanos e Desporto, falou com a Time Out sobre tudo o que vai mudar nos mercados nos pr√≥ximos tempos. Mercado do Bairro AltoFoi desactivado enquanto mercado tradicional e ser√° um mercado dos of√≠cios. Atrav√©s de uma parceria entre a C√Ęmara, a Junta de Freguesia da Miseric√≥rdia e a Funda√ß√£o¬†Ricardo Esp√≠rito Santo, ser√°, diz¬†o vereador, "um espa√ßo oficinal, de of√≠cios tradicionais¬†portugueses, onde podemos beneficiar das oficinas criativas da Funda√ß√£o Ricardo Esp√≠rito Santo e ao mesmo tempo ter um espa√ßo de utiliza√ß√£o para quem domine determinados of√≠cios e possa, a partir dali, fazer os seus prot√≥tipos, aprender um determinado of√≠cio." Est√° em obra e quase a abrir. Mercado de Santa ClaraLeva a bandeira de primeiro mercado coberto de Lisboa, aberto em 1887, mas tudo est√° diferente no Mercado de Santa Clara. ‚ÄúEntendemos que j√° n√£o fazia sentido recuperar¬†a sua fun√ß√£o de com√©rcio tradicional‚ÄĚ, explica o vereador. Depois de um concurso de ideias, lan√ßado pela autarquia e a Trienal de Arquitectura, nasceu a proposta de "fazer um espa√ßo para as ind√ļstrias criativas e de exposi√ß√£o para os criadores. Vai ter um espa√ßo de restaura√ß√£o, al√©m de j√° ser sede do Clube de Criativos de Portugal. Vai ser um mercado¬†mais dedicado √† cultura e artes." Mercado do LumiarDe uma parceria e

Pasta Non Basta: h√° um novo italiano em Alvalade

Pasta Non Basta: h√° um novo italiano em Alvalade

Um Pasta Non Basta n√£o bastava aos lisboetas. E que o digam todos aqueles que aos fins-de-semana faziam fila √† espera de lugar ou telefonavam tentar reservar mesa, muitas vezes sem sucesso. Por isso, os s√≥cios do restaurante italiano da Elias Garcia lan√ßaram-se num segundo espa√ßo, bem maior e com uma √≥ptima esplanada na Rua Marquesa de Alorna, em Alvalade. ¬† A esplanada do novo Pasta Non Basta, em Alvalade Fotografia: Manuel Manso ¬† ¬† Caso ainda n√£o tenha descoberto este vero restaurante italiano aberto desde os primeiros meses de 2017, c√° vai. √Č um misto de osteria, o equivalente a uma casa de petiscos italiana com pratos para dividir, com pizzeria, onde o modelo seguido √© o das pizzas de massa fina, feitas com farinha 00 em forno de lenha, e restaurante de pastas, risotos e pratos de carne. ‚ÄúNo novo restaurante replic√°mos o conceito do Pasta Non Basta, com uma cozinha caseira e comida de conforto‚ÄĚ, explica Frederico Seixas, um dos s√≥cios do restaurante. Apesar de o novo espa√ßo trazer a hip√≥tese de servir mais pratos ao balc√£o e puxar mais pelo bar. ‚ÄúEstivemos agora em Bolonha, em v√°rios aperitivi [h√°bito italiano de beber um copo ao fim do dia, acompanhado de uma s√©rie de pequenas doses ao balc√£o para petiscar], e temos essa ideia em cima da mesa para este restaurante‚ÄĚ, acrescenta. Fotografia: Manuel Manso ¬† Por enquanto a ementa √© tal e qual a mesma que t√™m no primeiro espa√ßo e que mudou recentemente para a colec√ß√£o de Inverno, diga-se. Entre as novas especialidades,

Pitaria: o novo restaurante de José Avillez sabe ao Médio Oriente

Pitaria: o novo restaurante de José Avillez sabe ao Médio Oriente

Enquanto Lisboa vibrava com a abertura do primeiro restaurante de Jamie Oliver no pa√≠s, e a imprensa e televis√£o se acotovelam para dar as primeiras imagens das italianices do chef brit√Ęnico no Pr√≠ncipe Real, apenas umas ruas abaixo, o Grupo Jos√© Avillez, encabe√ßado pelo nosso chef mais internacional, abria de forma silenciosa um novo restaurante. Um novo microrestaurante, sublinhe-se, na Rua Nova da Trindade, bem perto do Bairro do Avillez, com um estilo de comida at√© ent√£o novo para o leque de restaurantes que tem em Lisboa: sabores do M√©dio Oriente. ¬† √Č um bom restaurante para refei√ß√Ķes ao balc√£o ¬© Jos√© Avillez ¬† O restaurante chama-se Pitaria, tem 18 lugares, m√ļsica a puxar para o animado ‚Äď h√° uma bola de espelhos no tecto ‚Äď e uma pequena carta feita s√≥ e apenas de pitas. Diferente de tudo o resto que o chef tem no Chiado e n√£o apenas no aspecto f√≠sico e na oferta. ‚ÄúEste √© um espa√ßo da equipa para a equipa‚ÄĚ, explica M√≥nica Bessone, respons√°vel de comunica√ß√£o do grupo. Feito para as 500 pessoas que j√° fazem parte da equipa poderem passar e comer qualquer coisa a qualquer hora do dia. Foi pensado pelo chef, delineado com ajuda de outros cozinheiros e √© um s√≠tio onde se pratica uma linha de street food do M√©dio Oriente. ‚ÄúSomos cada vez mais, √© uma maneira de aproveitar as viv√™ncias de cada um. Junt√°mo-nos a trocar ideias, com o chef [Jos√© Avillez] a liderar a discuss√£o e pens√°mos que a Pitaria seria uma boa ideia. Um s√≠tio com refei√ß√Ķes leves, mas com qualidade‚ÄĚ, acrescent

Est√° na hora do lanche, diz Paulo Morais

Est√° na hora do lanche, diz Paulo Morais

Que o Kanazawa tem os jantares japoneses mais exclusivos da cidade, j√° toda a gente sabe. Agora, Paulo Morais, que herdou a casa das m√£os de Tomoaki Kanazawa, acaba de estender as suas minuciosas refei√ß√Ķes √† hora do lanche, com um conjunto de doces feitos pelo pr√≥prio e pela respectiva equipa. Da apresenta√ß√£o √† prepara√ß√£o do ch√°, da explica√ß√£o de cada um dos doces ao servi√ßo, √† boa moda nip√≥nica, aqui nada √© deixado ao acaso. ¬† O doroyaki com ch√° matcha ¬© DR ¬† ¬† O menu do lanche vem no seguimento do estilo kaiseki do restaurante. ‚ÄúO que fazemos aqui ao jantar √© √ļnico. Pens√°mos em abrir almo√ßos, mas a cozinha n√£o iria ter o mesmo cuidado. Ent√£o seguimos aquilo que j√° serv√≠amos no fim dos jantares, os doces‚ÄĚ, explica o chef, enquanto prepara um matcha, o ch√° verde em p√≥ conhecido pelas propriedades digestivas, com um pincel de madeira. Este √© apenas um dos v√°rios produtos do completo menu de ch√°s. H√° tamb√©m o genmai, um ch√° verde com pipoca de arroz, o sencha, ch√° verde em folha, o de jasmim e, em breve, conta, v√£o trabalhar com a Companhia Portugueza do Ch√°, com loja no Po√ßo dos Negros. ¬† Prepara√ß√£o do matcha ¬† A escolha da bebida, servida numa ta√ßa de cer√Ęmica, para agarrar com as duas m√£os, marca o ponto de partida deste ritual do lanche. ‚ÄúNa cerim√≥nia sempre se deu muita import√Ęncia √†s cer√Ęmicas. A primeira coisa que se deve fazer √© admirar a loi√ßa.‚ÄĚ Depois apresentam os v√°rios doces, em tabuleiros de madeira¬†‚Äď tal e qual como apresentam o sashimi nos v√°rios menus de ja

The best things in life are free.

Get our free newsletter ‚Äď it‚Äôs great.

Loading animation
Déjà vu! We already have this email. Try another?

ūüôĆ Awesome, you're subscribed!

Thanks for subscribing! Look out for your first newsletter in your inbox soon!